quarta-feira, 5 de maio de 2010

Cinema é Coisa de Irmão

Que o cinema é uma arte coletiva, todos sabemos. Não há conhecimento de um filme feito, criado, pensado e atuado por apenas um elemento. Não estamos diante de um quadro ou de uma escultura. Há muita gente trabalhando por trás da imagem que vemos na tela grande, na Tv ou mesmo na internet. E diante disso, o cinema nos dá muitos indícios que além de coletivo, pode ser fraternal. Há uma enormidade de familiares que trabalham nessa indústria, e por muitas vezes juntos. Mas como o nome do texto diz, restringir-me-ei a irmãos. Uma pequena homenagem à minha irmã, Flavia.

Desde que o cinematógrafo foi inventado pelo francês Léon Bouly e patenteado (outros dizem roubado) pelos irmãos August e Louis Lumiére, três anos depois, a irmandade está presente no cinema. Quer mais do que serem irmãos considerados os pais do cinema? Vejam algumas imagens históricas do que chamamos de primeiros filmes já feitos.


A partir dos engenheiros "criadores" da 7ª arte, temos uma grande quantidade de irmãos diretores nos cinemas. Não se decepcionem pois não falarei dos irmãos Tony e Sir Ridley Scott ('Blade Runner'), dos irmãos Fábio ('Lula, o Filho do Brasil') e Bruno Barreto ('Última Parada 174') e de dois dos meus irmãos prediletos que terei que deixar de fora, Walter ('Linha de Passe') e João Moreira Salles ('Santiago'). Esses grandes diretores estão de fora da minha irdéia central, pois nunca dividiram a direção de algum longa, apenas de curtas. Infelizmente, pois seria um prazer falar dos irmãos Salles, mas certamente no futuro estarão aqui no Sessões.

Há direções divididas entre rebentos de mesmo sobrenome e sangue dos mais variados estilos e gêneros. Podemos começar falando dos clássicos. Paolo e Vittorio Taviani foram capazes de fazer filmes que deixam marcas até hoje. Os italianos começaram com documentários inspirados no neo-realismo que dominava o cinema italiano, que vivia seu auge, não a decadência que abordei outrora. A partir da década de 70 surgiram as obras-primas dos Taviani: 'Pai Patrão', 'A Noite de São Lourenço' e 'Kaos'. Eles, com mais de 80 anos ainda permancem fazendo cinema, e melhor, juntos. Venceram grandes prêmios durante toda a carreira, como a Palma de Ouro e FIPRESCI por 'Pai Patrão', o Grand Prix de Cannes por 'A Noite de São Lourenço', além de vários prêmios italianos. Merecem a reverência.

Agora vamos para os irmãos Pang. Quem são esses aí? Pois é, nascidos em Hong Kong, eles não são apenas irmãos, são gêmeos. Danny Pang Fat e Oxide Pang Chun são conhecidos por fazerem filmes que são alvos de remakes norte-americanos. Nos anos 90 o cinema oriental sofreu muito com essas refilmagens basicamente de filmes de terror e de artes marciais. Pois é. Eles são responsáveis pela Trilogia Bangkok: Bangkok Dangerous , que ganhou um remake estrelado por Nicholas Cage em 2008 chamado 'Perigo em Bangkok', '1+1=0' e 'Som and Bank: Bangkok for Sale'. Também são conhecidos por outra trilogia sem um nome certo, porém com uma presepada das distribuidoras nacionais. Já ouviram falar no terror japonês 'Visões' e 'Visões 2', certo? Eles são a segunda e terceira parte da trilogia, que é composta de: 'The Eye - A Herança', 'Visões' e 'Visões 2'. Quem gosta de cinema asiático de terror e de ação, esses gêmeos nos dão um banquete e tanto!



Há quem ainda ouça o nome dos irmãos Wachowski e ainda fique com a dúvida de quem são. Lembrem-se sempre, 'Matrix', uma das maiores inovações tecnológicas e de efeitos especiais já feitos no cinema (na minha opinião muito mais do que 'Avatar'). Andy e Larry (agora Lanna - sim, ele mudou de sexo) dirigiram além da Trilogia Matrix, a adaptação dos HQs 'Speed Racer', estrelado por Emile Hirsch (de 'Na Natureza Selvagem') para a telona, infelizmente sem a mesma categoria esperada depois do estrondo feito pelos anteriores. Eles também são os roteiristas e produtores do ótimo 'V de Vingança'. Esperamos mais dos Wachowskis. Será que podemos, depois de 'Matrix'? Só esperando para saber.

Mudando de ares, vamos aos premiadíssimos irmãos Dardenne. Os belgas podem ser considerados imortais pois já conseguiram levar para casa nada menos que 2 Palmas de Ouro, com 'Rosseta' e 'A Criança'. Luc e Jean-Pierre tem uma pequena filmografia porém, como disse, muito premiada. Aliás, Dardenne e Cannes parecem nomes separados no nascimento. Além de 2 prêmios máximos da premiação francesa, 'O Filho' levou o Prêmio do Juri - Menção Especial e o último 'O Silêncio de Lorna' levou a Melhor Fotografia. Apenas o primeiro da dupla, 'A Promessa' não deu prêmios de Cannes aos irmãos. Aclamados pela grade crítica e não muito conhecidos e/ou apreciados pelo grande público, eles levam às telas um cinema realidade, com a câmera nervosa, no ombro, quase sempre abordado temas polêmicos com ar de imprudência e imaturidade, principalmente por sempre ter jovens em pauta. Me agrada muito a filmagem simples e direta dos Dardenne. Se não conhece, não percebeu que já perdeu tempo? Veja o trailer do último trabalho lançado pelos ótimos diretores, 'O Silêncio de Lorna'.


Agora como não falar nos irmãos mais conhecidos do momento? Os Coen não são irmãos, são um só. Os Coen não sabem e talvez não conseguiriam trabalhar separados. Na direção, no roteiro ou na produção há a colaboração dos dois brothers do Minessota. E o estado que nasceram foi base de vários de seus filmes. Aliás, os Estados Unidos sempre estão como plano de fundo das obras dos Coen. Sim, nos Estados Unidos mas sem ar Hollywoodiano. Sempre com um ar independente, seus filmes tem a liberdade autoral que eles conseguiram por postura desde o início da carreira. Ethan e Joel iniciaram com 'Gosto de Sangue' e desde lá mostram ao que vieram: mostrar o ser humano do modo mais cru possível, seja num drama, num thriller ou numa comédia. Neste e no premiadissimo 'Onde os Fracos não tem Vez' o Texas é o plano de fundo, além da comédia de situação 'Arizona Nunca Mais'. Em Los Angeles foram ambientados a crítica ao mundo do cinema comercial norte-americano 'Barton Fink' (vencedor da Palma de Ouro) e o engraçadissimo 'O Grande Lebowski' com atuação imortal de Jeff Bridges. No Sul dos Estados Unidos, temos 'E aí, meu Irmão, Cadê Você?', 'Na Roda da Fortuna' e a comédia non-sense 'Matadores de Velinhas'. O Estado onde eles foram criados está retratado no último filme da dupla 'Um Homem Sério' e 'Fargo'. Para quem não conhece nada, viu algo que não gostou ou não sabe por onde começar, veja 'Fargo', 'O Grande Lebowski' e 'O Homem Que Não Estava Lá'. Além desses ele também fizeram Ajuste Final' que considero o melhor filme de máfia depois de 'Os Imperdoáveis' de Clint Eastwood, 'O Amor Custa Caro' e o mais fraco deles (mas não por isso ruim) 'Queime Depois de Ler'. Os Coen encantam, por ser um só. Vejam o trailer de Fargo, o melhor dele, ops, deles!


Seja pelos Coen, Dardenne ou Taviani, os irmãos estão e sempre estarão presentes no cinema e já deixaram a marca deles. Quem serão os próximos? E os que deixei de fora dessa lista? Ainda teremos muitos exemplos para demonstrar o quanto a irmandade faz parte da indústria do audiovisual, mas esses nomes representam bem a importância de mais irmãos na tela grande. Seja seu irmão como for: louco, azul, magricelo ou judeu, ele será sempre mais do que um amigo. Obrigado irmã!

Vitor Stefano
Sessões

8 comentários:

  1. Que linda homenagem. Amo meus irmãos e amo cinema, ou seja, perfeito, hehehe!!!! Muito legal conhecer sobre diretores queu nunca tinha ouvido falar. Acho bacana irmãos que trabalham juntos, porque não é nada fácil... ^^
    BjosS ;)

    ResponderExcluir
  2. Ownnnnnnnnnnnn
    xun, se vc fizer um filme, posso ser uma figurante (pq eu não sei decorar muita falas) mas coloca no roteiro prá eu pegar o johny deep, ou o jude law, ou o orlando bloom, ou o ashton kutcher, ou o Gerard Butler, ou até o harry potter. =)
    Ah,
    terça vamos ver o filme que eu ganhei ingressinhos??
    te amo xu

    ResponderExcluir
  3. cilliam murphy, jared leto, robert pattinson, geroge cloney, brad pitt, sean feris, Hayden Christensen, Hugh Jackman,Heath Ledger(se for um filme espírita), Jake Gyllenhaal e claro Christopher Walken também servem tá?

    ResponderExcluir
  4. Acho que todos conseguiram entender que provavelmente não role um filme entre eu e minha irmã (até por falta de verba para atender as exigências feitas acima), mas quem sabe com meus irmãos sessonianos.
    Há de se pensar...

    Obrigado aos comentários! Fiz o post exatamente por me interessar muito pelos Dardenne e, principalmente, pelos Coen. Comecei a pesquisar e muitas novidades apareceram...

    Vamos irmãos! Avante!

    Vitor Stefano
    Sessões

    ResponderExcluir
  5. Curioso é pensar que tipo de filme eu faria com um de meus irmãos...

    hehe


    M.M.
    Sessões

    ResponderExcluir
  6. xun, mas antes de eu fazer essas exigências a gente pode fazer uns sem famosos. eu vou dar as idéias para as cenas de chorar.
    =)

    ResponderExcluir
  7. Tenho que confessar um segredo de família: Eu sou um irmão perdido do Lars Von Trier, um bastardo brasileiro, que até hoje os Von Trier não quiseram assumir. Irmão, tá na hora da gente fazer um filme juntos. Lê o barato aí e se inspira. Afinal, como tipo diria a Usurpadora para a Paola Bracho:
    "Somos sangue do mesmo sangue, Lars!"

    Leandro Antonio

    Sessões

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...