sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Santiago

Nome Original: Santiago
Diretores: João Moreira Salles
Ano: 2007
País: Brasil
Elenco: Santiago e João Moreira Salles.
Prêmios: Melhor Documentário e Edição de Documentário do Grande Prêmio Cinema Brasil, Melhor Documentário do Festival de Miami e Festival Latinoamericano de Lima, e Grande Prêmio do Festival de Cinema Real de Paris.
Santiago (2007) on IMDb


Um drama profundo, com a densidade que só o branco e preto pode causar. Não pode ser um documentário. Não pode... Ver um único personagem na tela e aos poucos perceber que aquele ser não está sendo documentado, e sim quem está por trás da câmera, é totalmente surpreendente. Mesmo se for obra da casualidade, foi, certamente, genial. Ver profundamente o que não vemos à frente é o grande trunfo de ‘Santiago’, o documentário, não o personagem. Nas lembranças de Santiago, mordomo da família, além de sua história, a de João Moreira Salles está escancarada.

J.M. após 13 anos retomou a montagem do documentário. Santiago já havia morrido, restaram 9 horas de vídeo de incessantes pedidos de repetição ao documentado, milhões de páginas de dossiês sobre as nobrezas de todos cantos do mundo em 6 idiomas e as lembranças da mente de quem viveu com o mordomo argentino. Um bloqueio fez com que ele nem conseguisse seguir filmando há 13 anos e muito menos a narrar os fatos. Essa tarefa foi cumprida pelo seu irmão Fernando, que era mais do que apenas a vida de Santiago Badariotti Merlo, é uma ode à memória de Santiago sobre a família Salles. Há filmes que retratam o roubo de sonhos e da memória alheia. É exatamente o que João fez, cumprindo seu mea-culpa.

Pouco importa se ‘A Roda da Fortuna’ é o filme predileto do mordomo, se ele sabe tocar castanholas como um espanhol, se reza em latim, toca Bach como poucos. Esse documentário talvez só interesse à própria família Salles, porém tornou-se um marco, um ícone do gênero no país por sua suavidade, sensibilidade e por ser único. Como disse no início, não pode ser um documentário por emocionar tanto. Mas é, e basicamente sobre João Moreira Salles. Seus segredos são quase revelados, porém, nunca saberemos o que Santiago ia dizer.



Santiago mantêm-se dançando à la Fred Astaire ou fazendo sua inesquecível dança das mãos em outras vidas, integrando alguma nobreza de outros séculos, algo que sempre lhe pertenceu.

E espero que o personagem principal de ‘Santiago’ reconsidere e que não seja seu último trabalho como documentarista. É triste ver os gênios pararem. Atualmente J.M.S. se dedica ao Instituto Moreira Salles e à Revista piauí.


Vitor Stefano
Sessões

2 comentários:

  1. Santiago acaba sendo um filme único e metalinguístico, onde o antagonista da história está do outro lado da câmera, contando sua própria história, através da biografia do protagonista... Confuso, não?
    É provável que ninguém se apercebeu do que estava fazendo no processo de filmagem.
    Dito isso, considero esta uma obra brilhante, humana até o limite da humanidade e cinematográfica ao limite da realidade.
    O Brasil é referência em documentários e João Moreira Salles é um de nossos gênios.
    Parabéns pelo post, Vitor!

    ResponderExcluir
  2. Às vezes a imagem não precisa de palavras, a música e a cena do fim do trailer são lindas e falam muito por si. O documentário deve ser tocante como esse pedacinho do trailer, que já me convenceu! ^.~

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...