quinta-feira, 6 de maio de 2010

Marnie, Confissões de uma Ladra

Nome Original: Marnie
Diretor: Alfred Hitchcock
Ano: 1964
País: EUA
Elenco: Tippi Hedren e Sean Connery
Sem prêmio
Marnie, Confissões de uma Ladra (1964) on IMDb

Comecei a ver esse filme e nem havia me dado ao trabalho de ver de quem era ou quem trabalharia nele. Quando começa, vejo Sean Connery. Interessante. E com o desenrolar do filme, tive a sensação de estar vendo um ótimo filme de suspense. E que pela 'idade' do filme, pela trilha e pelo desenrolar da história, parecia-me algo familiar. Quando não suporto e descubro que 'Marnie' é de ninguem mais, ninguem menos que Alfred Hitchcock.

O mestre do suspense Alfred Hitchcock cria uma história de muita sensualidade e suspense, que lhe é caracteristico. É um retrato de uma mulher conturbada e psicótica e de um galã que tenta salvá-la desse mal que a aflige. Marnie é uma ladra, como o próprio nome diz, compulsiva e mentirosa. Tippi Hedren tem uma atuação que beira a perfeição na pele dessa personagem complexa e transviada. Connery fica em segundo plano com a ótima participação dessa mulher misteriosa.

Sean Connery, que era 007 naquela época, faz um papel de detetive, mas não como Bond. Ele vive um detetive intimista que instintivamente casa-se com Marnie, após ela tentar roubá-lo, apenas para descobrir o que se passa naquela na vida dela e tentar desvendar os motivos do comportamento obsessivo de Marnie. Hitchcock consegue com 'Marnie' uma ótima pedida para um ótimo filme de suspense com um certo apelo sensual. Um das cenas mais lindas do filme é durante a lua de mel do casal, onde ela não o deixa tocá-la.


Hitchcock não é o gênio do suspense apenas por filmes grandes e conhecidos, 'Marnie' é tão bom quanto outros mais badalados, que enriquecem a sua filmografia não com apenas mais um, mas com um ótimo filme que, para quem gosta do estilo hitchcockiano é obrigatório. E com um final digno de surpreendente.

"You don't love me. I'm just some kind of wild animal you've trapped!"

Vitor Stefano
Sessões

2 comentários:

  1. Taí, uma bela sugestão. Ver filmes menos badalados de grandes diretores. Começo de carreira, ou um trabalho que não teve tanto público. Os fatores são muitos, época, verba, ainda não ter imprimido uma marca, pressão das produtoras, etc, etc. Mas acho que em pequenos ou grandiosos filmes sempre é possível entender o estilo que um grande diretor imprime.


    Leandro Antonio
    Sessões

    ResponderExcluir
  2. Um Hitchcock menor é muito maior que qualquer filmes desses diretores de suspenses badalados de hoje em dia.
    Marnie é um delícia!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...