domingo, 10 de agosto de 2014

Sessões Promoção - Paraíso - PROMOÇÃO ENCERRADA!

PROMOÇÃO ENCERRADA!

E retornamos às Sessões Promoção e como sempre com a parceria com a maravilhosa Imovision. E o filme da promoção é o mexicano "Paraíso" de Mariana Chenillo. Veja o trailer:




A sinopse já mostra a loucura que será: Namorados desde a infância, Carmen e Alfredo vivem felizes em um município próximo à Cidade do México. Alfredo é promovido no trabalho, e o casal é obrigado a se mudar para a capital e se adequar à rotina da metrópole. Os novos valores e relações fazem os dois encararem uma velha condição que pouco os preocupou até aqui: ambos estão acima do peso. Incomodados com os comentários maldosos que chegam aos seus ouvidos, os pombinhos decidem trocar donuts por saladas. Mas novos problemas surgem quando apenas um deles começa a emagrecer.

O trailer é hilário e o cinema mexicano sempre nos brinda com bons filmes. E para levar um par de ingressos você deve responder a seguinte pergunta:

Qual filme sobre gordinhos você mais gosta e porque?

Os 3 primeiros a responderem neste post levam pares de ingressos. Não deixem de participar e se identificar para enviarmos o prêmio. O filme estreou dia 7 de agosto nos circuitos de São Paulo e Rio, então corra!

*********************
Vencedores:
Camila Borca
Gustavo Magno
Fabiano Malaquias Correa

Parabéns aos vencedores! Enviaremos o prêmio nos próximos dias!

Participem!!!

Equipe Sessões
 

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Quando eu Era Vivo



Nome Original: Quando eu Era Vivo
Ano: 2014
Diretor: Marco Dutra
País: Brasil
Elenco: Antonio Fagundes, Marat Descartes e Sandy Leah.
Sem Prêmios.
Quando Eu Era Vivo (2014) on IMDb



Um organismo vivo, indestrutível. Vivo-morto. Ressurgindo das cinzas e emergindo das profundezas. Não, não é Zé do Caixão. 




Através de uma fita de VHS vamos conhecendo os personagens. As imagens em qualidade distorcida mostram crianças alegres e felizes, barulhos estranhos, uma mulher sinistra, um livro com a imagem de um demônio aparece, velas queimando. Mas quem nunca vemos nas imagens é o pai, o qual acompanharemos hoje, cuidando da saúde com suplementos e exercícios indicados ao médico. Um homem em sua senioridade, com namorada, viúvo, mas que seguiu em frente. A partir da recepção e acolhimento em sua casa a Junior, jovem separado, pai ausente, perturbado, aquela casa nunca mais será a mesma. Já, o outro filho, está internado. Ou melhor, voltará a ser o que sempre foi. A casa pulsa. A casa tem vida.



Durante essa metamorfose, surge Bruna. Uma moça bela, estudante de música que aluga um quarto da casa. Ela é um ponto fundamental da história, como uma liga entre pai e filho, uma figura feminina na casa, uma inspiração. Junior vê na moça indefesa a sensualidade que gera estímulo para (re)escrever sua história. A partir de “escavações” num quartinho dos fundos do apartamento, o filho revê seu passado através de objetos renegados e escondidos pelo pai. Um misto de delírio, depressão e ocultismo geram medo no pai e, apesar da introspecção, cresce um sentimento obscuro no filho. Tudo fica muito pesado. A mãe ainda vive. 

Marco Dutra é desbravador e corajoso. Fazer filmes de gênero no Brasil é fora da caixinha, a não ser pelas comédias globais, o que há de pior no nosso cinema. Mas filmes de suspense-terror como “Quando eu Era Vivo” não existe. Apenas Zé do Caixão faz filmes de terror, mas são filmes B, não para o mainstream. Ousado por tocar em assuntos delicados como religião e ocultismo. Ainda mais ousado por trazer Sandy Leah (sim, a cantora) para as telas e surpreende com uma atuação que também a faz sair da casinha. Fagundes é monstro e não há o que falar. Marat é fantástico. Sempre me chama atenção seu nome, desde que fiquei boquiaberto com “Os Inquilinos” do Sergio Bianchi. Inspirado livremente em Lourenço Mutarelli, há a clara alma do escritor na tela. Afinal, quem deve sair da casinha somos nós, nos despir de preconceitos e ver filmes brasileiros. Apesar da clara inspiração aos suspenses hollywoodianos, ou mais especificamente shyamalanianos, como “O Sexto Sentido” ele não deixa devendo nada a eles. “Quando eu Era Vivo” é um dos melhores filmes do ano.

Vitor Stefano
Sessões

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Instinto Materno



Nome Original: Pozitia Copilului
Ano: 2013
Diretor: Calin Peter Netzer
País: Romênia
Elenco: Luminita Gheorghiu, Bogdan Dumitrache, Natasa Raab e Ilinca Goia.
Prêmios: Urso de Ouro e Prêmio Fipresci do Festival de Berlim.
Instinto Materno (2013) on IMDb




A relação de mãe e filho é especial. Desde a gestação cria-se um vinculo único e indestrutível. Uma sinergia mais forte do que a força de um imã. Uma maravilhosa conexão. Inenarrável. Mas e quando um filho não aguenta mais a proteção materna? E quando o instinto materno sobrepõe a vontade do rebento? Quando um bebê passa a ser apenas um filho? Essa relação é igual no mundo todo. Uma coruja.

A vida de Cornelia é ótima. Boa classe social, bem relacionada, bonita casa, casamento próspero, empregada em casa e um carrão na garagem. Mas Cornélia está perdida. Seu filho Barbu não está presente e a rejeita. A casa fica vazia. Ela não tem como controlar a vida de Barbu. Ela só sabe criticar a nora, mas não percebe que seu garoto não é mais tão garoto assim. Quando o filho se envolve num acidente de carro, atropela e mata uma criança de um povoado próximo a Bucareste, Cornélia abre as asas, espanta os urubus e o cobre de todos os lados para que ninguém ataque seu rebento. A proteção exacerbada só revela ainda mais as feridas no relacionamento dos dois. Barbu só quer respirar, mas Cornelia não tem noção do limite para amar seu filho. Amor doentio.


A cena final é de arrepiar e finaliza com louvor um dos melhores filmes do ano. Atuações fantásticas, principalmente de Luminita Gheorghiu que está absolutamente avassaladora. Um roteiro que tinha tudo para ser piegas pelo assunto delicado, mas com pequenos detalhes e ausência de palavras deixam tudo mais belo e delicado. Um belo retrato de uma relação eterna, numa Romênia em crescimento, mas com disparates enormes, como nosso país. O cinema romeno é absurdo.

Vitor Stefano
Sessões

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Vidas ao Vento

Nome Original: 風立ちぬ / Kaze Tachinu
Ano: 2013
Diretor: Hayao Miyazaki
País: Japão.
Vozes: Hideaki Anno, Miori Takimoto, Hidetoshi Nishijima, Steve Alpert.
Prêmios: Melhor Roteiro no Annie Awards, Melhor Animação e Trilha Sonora da Academia Japonesa de Cinema.
Vidas ao Vento (2013) on IMDb


Uma tela a ser exposta no Louvre. Miyazaki fez mais uma vez. Aparentemente a última vez. A capacidade de impressionar com traços impecáveis, desenhos belíssimos e história cativante tudo em 2 horas é de emocionar. Se animação é “coisa de criança”, o mundo deveria estar cheio de menores vendo filmes belos e inteligentes como o que esse senhor faz. Habitué de mundos imaginários, seus traços marcantes agora retratam uma biografia de uma lenda japonesa, claro, sem deixar de lado o lúdico. Uma história de guerra. Uma história de viver a vida. Uma vida de superação.


“Vidas ao Vento” é quase Viscontiano. A trajetória de Jiro Horikoshi desde sua infância até seu amadurecimento na criação do Zero, avião usado na Segunda Guerra Mundial pelo Japão, passa pelos aviõezinhos de papel, pelo sonho de ser um grande projetista de aviões, pelas desventuras de um país assolado por eventos naturais, pelo amor dos pais, pelas amizades que constrói, pelo amor que muda sua vida. Nem vou entrar em detalhes. É necessário ver. Rever toda a obra. Rever tudo que vem de Hayao, o maior gênio da animação de todos os tempos. Que bom que vivo nessa época para poder viver isso.

Vitor Stefano
Sessões

terça-feira, 15 de julho de 2014

Mostra Imovision - 25 anos



Durante esses quase 6 anos de Sessões vimos inúmeros filmes, comentamos centenas deles e fizemos diversas promoções. E um dos nossos maiores parceiros é a Imovision, uma das distribuidora mais importantes no quesito cinema de arte desse país. Sempre que vir filmes distribuídos pela Imovision devem/merecem ser vistos. E esse é um ano especial para a distribuidora que completa 25 anos de dedicação especial ao cinema, movidos pela paixão e compromisso de trazer para o público brasileiro o fino da Sétima Arte.

E para comemorar essa data tão importante, a Imovision fará de 24 a 30 de julho, a MOSTRA IMOVISION 25 ANOS. A Mostra terá 14 filmes, sendo 7 grandes sucessos da distribuidora e 7 premières. Sim, 7 filmes inéditos, um por dia no Reserva Cultura.
 
Quem quiser mais detalhes sobre a programação deve entrar nesse link. Quem está em São Paulo, não pode perder! 


 Os filmes inéditos apresentados na Mostra Imovision 25 Anos são:

posters mostra
  • "O Samba" de Georges Cachot
  • "As Férias do Pequeno Nicolau" de Laurent Tirard
  • "A Pedra de Paciência" de Atiq Rahimi
  • "Bem-Vindo a Nova York" de Abel Ferrara
  • "O Casamento de May" de Cherien Dabis
  • "Paraíso" de Mariana Chenillo
  • "Geronimo" de Tony Gatlif.
Todos eles contarão com a presença de algum participante da equipe ou do elenco, além de um coquetel (sempre excelente) ao final das exibições.

Já os filmes da retrospectiva serão os maravilhosos:

posters retro

  • "Amor à Flor da Pele" de Won Kar-Wai
  • "Cinema, Aspirinas e Urubus" de Marcelo Gomes
  • "Vincere" de Marco Bellocchio
  • "Amor" de Michael Haneke
  • "A Fita Branca" de Michael Haneke
  • "Dançando no Escuro" de Lars von Trier
  • "A Separação" de Asghar Farhadi

Nós do Sessões já comentamos diversos filmes trazidos pela Imovision, como:  "A Criança" e "O Garoto da Bicicleta" dos Irmãos Dardenne, "Nossa Música" do Godard, o chileno "Tony Manero", o libanês "Caramelo", os franceses "Bastardos" e "Tudo o Que Desejamos", o israelense "A Missão do Gerente de Recursos Humanos", a animação "O Gato do Rabino", "O Porto" de Kaurismaki, um dos melhores lançamentos de 2013 o espanhol "Branca de Neve", o fofo argentino "Medianeras", o vencedor de Cannes "Entre os Muros da Escola", os brasileiríssimos "Febre do Rato" do controverso Claudio Assis, "Entre Vales" do Barcinski e a maravilhosa produção "Xingu" de Cao Hamburger. Isso é só um pouco das maravilhas que a maravilhosa Imovision nos traz!

Só filmaço! Não perca a chance de ver e rever esses filmes maravilhosos trazidos por essa distribuidora única e vital para que o cinema seja muito mais do que só diversão. Imovision, parabéns e mais 25 anos para vocês!

Entre no site e siga a Imovision no Facebook.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...