terça-feira, 17 de agosto de 2010

O Bem Amado

Nome Original: O Bem Amado
Diretores: Guel Arraes
Ano: 2010
País: Brasil
Elenco: Marco Nanini, Matheus Natchergaele, Caio Blat, Maria Flor, Andrea Beltrão, Zezé Polessa, Drica Moraes, José Wilker, Tonico Pereira e Edmilson Barros.
Sem Prêmios.
O Bem Amado (2010) on IMDb

Meu povo e minha pova. Não, Odorico Paraguaçú não falava assim. Mas bem que poderia, ao lado de políticos direitistas de longa data como os PSDBistas, Malufistas, Colloristas ou até Sarneyistas - que vimos em ‘Maranhão 66’ de Glauber Rocha e que já vislumbrei ter sido aniquilado pelo Capitão Nascimento de Tropa de Elite. Em ‘O Bem Amado’ vemos uma eterna guerra entre direitistas e esquerdistas, socialistas e democratas... e quem é que sabe o que isso é de verdade nos dias de hoje. Todo exagero ideológico já perdeu força, caiu em desgraça e não goza mais de bons dias. Só vivem os centrais que nada sabem, nada crêem e nada fazem. Por isso ‘O Bem Amado’ vive apenas do sarcasmo e de uma crítica tardia, de uma época que a própria democracia e a falta da necessária reforma política já trataram de aniquilar.


A história baseia-se numa cidadela onde oposição e situação disputam o ‘trono’ da prefeitura quase à tapa, após a morte do prefeito por um matador profissional - Zeca Diabo. O vencedor é Odorico Paraguaçu, direitista de primeira linha. Caixa 2, óbvio. Desvio de verba, certamente. Construções “para” o povo, tacada certa. A construção na história é um cemitério, visto que os mortos de Sucupira não podiam dormir o sono eterno na cidade. Sempre acompanhado das fieis Cajazeiras, mulherengo de mão cheia (de dinheiro). Vladimir, o socialista e oposicionista, é o editor e dono do jornal da cidade “A Trombeta”, que faz a caveira do prefeito eleito, só com a intenção de colocar o povo contra Odorico. Isso jamais aconteceria na realidade, onde os veículos de comunicação são controlados pela situação e elite. O nível 0 de mortandade na cidade causa muitas situações bizarras, cômicas e dá o tom da narrativa.

Risos são causados por diversos momentos, principalmente por conta do grande talento do elenco, que tem muita experiência e qualidade. No meio de tantos vovôs, como Nanini, Beltrão, Polessa, Wilker, destaque ao melhor ator da atualidade de nosso cinema nacional, Caio Blat de ‘Histórias de Amor Duram Apenas 90 Minutos’, como narrador dos fatos históricos, é o assistente do jornal comunista e que desenrola um romance com a filha de Odorico (Maria Flor) e Edmilson Barros, o bêbado que em todo momento que aparece, rouba a cena dos dinossauros.

Com elenco global, inspiração novelesca, personagens caricatos, ‘O Bem Amado’ não ficará marcado na história do cinema, o que a produção de Dias Gomes conseguiu na década de 70 na televisão. Guel Arraes segue sua carreira cinematográfica com filmes de televisão, sempre com perfeição técnica. Outras vezes funcionaram muito bem, como ‘O Auto da Compadecida’ e ‘Lisbela e o Prisioneiro’, agora, escorregou ao tentar ressuscitar um sucesso imutável. Ponto alto e inquestionável está na escolha da trilha sonora, caracteristica já vista em outras produções de Guel. Caetano Veloso, assim como em ‘Fale com Ela’, marca presença com sua poesia e voz, acompanhado de Mallu Magalhães, Zélia Duncan e a força do Carcará de Zé Ramalho, que você ouve abaixo. Quem busca riso fácil e diversão, 'O Bem Amado' cumpre seu papel, mas quem esperava mais, como na versão original, fique em casa e pense bem no seu voto.


Odorico não disse, mas bem que poderia: “Eu tenho aquilo roxo” (Collor, 1989). “No Brasil, o político é veado, corno ou ladrão. A mim, escolheram como ladrão” (Maluf). “Se está com desejo sexual, estupra, mas não mata” (Maluf). “Consultei um futurólogo e ele previu que o Brasil só terá outro presidente nordestino daqui a 1.900 anos. Então, acho que mereço ficar os seis anos” (Sarney). “Espero que não seja vôo de galinha, mas de pássaros” (Serra). E eu espero que vocês calem vossas bocas e sejam enterrados num cemitério de anões em Sucupira. E espero que o povo lute mais, vote melhor, cobre como deve, proteste quando for necessário e seja cidadão por todos os dias, não só durante as eleições. As frases são de direitistas catedráticos, assim como é de Odorico na película, porém os esquerdistas não ficam atrás não, pois já provaram de tão esquerdistas viram direitistas burgueses com apego ao poder, todos querem mesmo ser O Bem Amado. Aliás, tratando-se de política, quem fica para trás somos nós. Mas isso mudará. Ah, mudará!


Vitor Stefano
Sessões

Um comentário:

  1. Críticas inteligente e bem-humoradas são, para mim, a cara que o cinema nacional tem que ter. Texto bacana, persongens cômicos e o olhar para o interior do Brasil fazem sucesso desde que o nosso cinema é cinema. Gosto desta cara do cinema comercial brasileiro, pois a considero mais genuína.

    Leandro Antonio
    Sessões

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...