terça-feira, 23 de junho de 2009

Qual a Melhor Trilha Sonora do Cinema?

Após longos debates, 14 filmes foram escolhidos pelos membros do Sessões.
Para conhecer a votação individual, clique aqui.



Across The Universe

Como toda boa banda os Beatles conseguem ser em algumas músicas muito bons e em outras muito enfadonhos.Oxalá o musical “Across the universe” não se encaixe naquela primeira categoria por ser em si um LSD em forma de DVD.A música tema (with a little help from my friends) que eu podia jurar que era do Joe Cocker era do Beatles e fala do lance da amizade.A depressão em Hapiness is a warm gun joga qualquer um pra baixo.E já que estamos no fundo do poço que tal um pouco de esperança.Tudo que você precisa é amor.All you need is love,love.Love is all you need. Ouça All You Need is Love interpretado por Dana Fuchs & Jim Sturgess.


Buena Vista Social Club

O documentário de 1999 dirigido por Win Wender (do já comentado Asas do Desejo) mostra tudo o que há de mais latino do 'Novo Mundo'. Conta a história do mítico clube de dança na capital cubana, Havana, ao som de nomes célebres como Omara Portuondo, Ibrahim Ferrer e Compay Segundo. Da pobreza e ostracismo ao ressurgimento e coroação no Carnegie Hall em Nova Iorque. Abaixo, veja o trailer desse belíssimo documentário ao som da música Chan Chan.



Cazuza - O Tempo Não Pára

Cazuza era personagem da sua criação. Vivia intensa e loucamente. Poeta, doce e dolorido. Provocava admiração e ódio – indiferença, nunca. Em “Cazuza – O Tempo Não Pára”, o ídolo dos anos 80 é representado à perfeição por Daniel de Oliveira, que não só ficou muito parecido, mas também cantou várias músicas da trilha com os timbres e trejeitos de Cazuza. No filme, as músicas do cantor serviram de moldura para o enredo. Incrível como ele teve uma “Vida Louca Vida”, divulgando sua “Ideologia” como um “Maior Abandonado”. Cazuza só “Queria ter uma Bomba” para poder dizer “Por quase um segundo” que “O Tempo não Pára”. Seu grande questionamento era entender “Por que a gente é assim”. Considerado por muitos um “Exagerado”, afirmava com convicção que “Eu não posso causar mal nenhum, a não ser a mim mesmo”. Veja um trecho do filme onde Cazuza compõe a música 'Preciso dizer que te amo'.



Closer -Perto Demais

O filme do começo ao fim é de arrepiar. Motivo? Damien Rice. Suas músicas (The Blower’s Daughter e Cold Water) dão o clímax das erupções de sentimentos causados pelas traições, amores e desamores das personagens. Dramaticidade em forma de trilha sonora. Ainda temos na trilha a brasileiríssima Bebel Gilberto cantando Samba da Benção, Tanto Tempo e Mais Feliz. Menção honrosa para The Smiths – How Soon Is Now?. Abaixo, veja o clipe de The Blower's Daughter interpretado por Damien Rice.



Dançando no Escuro
(para ler o que foi dito sobre Dançando no Escuro, clique aqui)

Dançando no Escuro é basicamente música. Pode-se dizer que a abnegada imigrante Selma e o filme num todo são compostos de música e dor. Sem a trilha sonora, o expectador não perceberia a história. Sem a última canção Selma não conseguiria prosseguir na jornada, sem a inspiração da Noviça não haveria de suportar o massacre do mais forte. Na construção de metáforas, Lars e Björk mergulharam nas velhas fórmulas para revelar novas sonoridades. Trailer com as brilhantes músicas de Björk.



ET - O Extraterrestre

Clássico de Steve Spielberg, ET ganhou 4 Oscars (Melhor Som, Trilha Sonora Original, Efeitos Visuais e Efeitos Sonoros), além de 38 outros prêmios e 27 nominações. Ou seja, em matéria de atmosfera sonora este longa é um dos mais bem produzidos na história do cinema. A música composta por John Williams emociona por sua grandiosidade. Pessoalmente considero que trilhas compostas exclusivamente para filmes, com o peso e a harmonia de uma orquestra, produzem um efeito de maior intensidade e emoção. Não há como desvincular a cena em que os garotos saem voando com suas bicicletas da música que envolve aquela aventura. Clássico em trilha sonora sem retoques. Abaixo veja a cena clássica do ET na bicicleta.
Well, well, well... Já tentou assistir a algumas cenas de Laranja Mecânica no mute? Ou, ouviu alguma música da trilha sonora no seu MP3 ou similar? Sons e imagens foram feitos um para o outro, ou você discorda disso, drug? A ousadia de mesclar o futurismo e rotações alteradas de Wendy Carlos, com a pompa de Elgar, a leveza de Rossini e Gene Kelly e ainda, a catálise do gozo ou da dor de cabeça que podem conter Beethoven. Escutar e ver Laranja Mecânica é presenciar o diálogo de gênios de diferentes épocas.







Lisbela e o Prisioneiro

Como é bom quando uma trilha sonora faz bem aos ouvidos, não é mesmo? Assim acontece em Lisbela e o Prisioneiro, produção nacional de 2003, além de ótimo filme, dá vontade de comprar o DVD, pra revê-lo inúmeras vezes, e o CD, pra tocar no carro, numa reunião com amigos, ou mesmo apreciá-lo solitariamente. Realizada com a fusão de gêneros e artistas em gravações inéditas, a trilha desta comédia-romântica bem nordestina une com maestria o brega e o chique, o rock e o forró. Destaque para o encontro antológico e inesperado entre Zé Ramalho e Sepultura, além dos toques de delicadeza de Caetano Veloso, Los Hermanos, e uma certa cafoníce anos 70 de Elza Soares. Ouça o maravilhoso encontro interpretando A Dança das Borboletas.




Na Natureza Selvagem
(para ler o que foi dito sobre Na Natureza Selvagem, clique aqui)

Eddie Vedder penetra nas obsessões do jovem andarilho Christopher McCandless, encontrado morto nos gélidos confins do Alasca em 1992. O vocalista do Pearl Jam vem com uma gama de canções que inundam a tela e dão grandiosidade desmedida as façanhas do rapaz. Trazendo sonoridades intimistas e cruas, através de um violão no melhor estilo folk, viola havaiana, e alguns sons e instrumentos exóticos, a trilha é empolgante e precisa. Na execução da música “Rise”, temos em conjunto as belíssimas imagens do protagonista desfrutando da ‘liberdade’ no início de sua jornada pela parte setentrional do continente americano. Ele morde uma maçã com satisfação! O bordão do filme surge quando um violão soturno inicia com acorde menor a idealista canção-tema “Society”, neste momento fazem-se fundir imagem, texto e som numa direção perfeita e lógica, levando o espectador ao delírio de perplexidade e paradoxo. Esta trajetória real e contraditória é muito bem adaptada e romanceada para as telonas com direção, fotografia e canções dignas de grande respeito, para dar o momento de glória ao garoto que deixa tudo em busca da natureza selvagem, em busca do que seus heróis escritores Leon Tolstói, Henry David Thoreau e Jack London procuraram nas brutais palavras de libertação e desejo. Lindo, apaixonante, desigual! Ouça Rise na voz de Eddie Vedder.



Psicose

Você pode nunca ter visto o filme, mas sabe que existe “a cena do chuveiro”. O responsável pelos estridentes e cortantes violinos que contribuíram para imortalizar esta como a melhor cena de suspense da cinematografia mundial é o músico Bernard Herrmann. Onde estaria o suspense desta cena se em vez da histeria de Herrmann houvesse a tristeza de um Gardel? Isto é só um exemplo, mas o fato é que esta cena só transformou-se no que é porque a trilha sonora pode potencializar as sensações que a cena transmite. É macabro! Veja o trailer abaixo.



Pulp Fiction

Segundo filme de Quentin Tarantino como diretor, Pulp Fiction é um triller de ação dos mais bem realizados. A trilha sonora dá o tom, criando uma atmosfera eletrizante e, sem dúvida alguma, é um show a parte. O estilo das músicas escolhidas são rockabilly, surf music, bandas instrumentais, soul e funk da melhor qualidade! Aliás, o som é sempre bem escolhido nos filmes de Tarantino, vide Cães de Aluguel e Kill Bill. Veja a dança que marcou Pulp Fiction ao som de Chuck Berry, You Never Can Tell.




Star Wars - Guerra nas Estrelas
O enredo de ficção cientifica é complexo, mas é a trilha dos filmes Star Wars, que nos faz sonhar com frases como: "Há muito tempo, em uma galáxia muito, muito distante...". Regida por John Williams, o mestre das trilhas sonoras, é eleita uma das melhores da história do cinema. Orquestrada com técnica Wagneriana é o pano de fundo para as aventuras de Darth Vader e Luke Skywalker, criada por George Lucas. Ouça a bela composição para este clássico do cinema.



Trainspotting

Este filme alucinado é embalado por Lou Reed, Iggy Pop, Brian Eno e David Bowie. Paulada do início ao fim. O sarcasmo e o desdém estão fatalmente nas mais malucas cenas, representando o universo psicológico e social de alguns jovens escoceses viciados em heroína. Trainspotting é rápido, é rock, eletrônico, dramaticamente realçando o desregramento e o desleixo da ‘não vida’ dos drogados. ‘Foda-se’ é uma palavra que se encaixa perfeitamente com a proposta ou anti-proposta, com as cenas do filme, onde rola sexo, sujeira, angustia e desespero. A cínica cena do mergulho do personagem Mark Renton numa privada imunda ao som de um instrumental calmo sugere até uma ridícula comparação com o clássico da Disney, A Pequena Sereia, a diferença é que quem nada para o fundo do oceano é um lunático desajustado em busca de um supositório de ópio e não uma bela sereia, Ariel. Este mesmo delinqüente escrachado aparece tendo uma alucinação em outro trecho do filme, onde o chão se abre e o maluco cai, no fundo roda uma canção calma e melancólica. Este filme estampa na cara do espectador com grande estilo o universo anti sonho americano da geração de 1990 européia. Temos heroína, temos tudo! Som na caixa, e pé na estrada, que a viajem começa agora, mas não tem limites. Afinal, para que carreira, filhos, família, carro, lucidez, coerência, solução? Foda-se! Ouça Lou Reed cantando Perfect Day.





Vanilla Sky
Nada mais natural do que uma boa trilha sonora já que o diretor foi jornalista de uma das mais importantes revistas de música do mundo: A Rolling Stones. Já seria o bastante encaixar os macacos velhos do Rock como Bob Dylan,com sua voz de sono,o ex Beatle Paul MacCartney e o já jurássico Peter Gabriel em um filme pra lá de contemporâneo.Ocorre que Cameron Crowe foi além,muito além.Traduziu o onírico etéreo com músicas pra lá de anormais. A música “Svefn-g-englar” (Os sonanbulos) dos Islandeses do Sigur Rós é tão distante quando o próprio país,parece que não foi feita por ninguém do planeta terra.São onze minutos de uma guitarra tocada com arco de violino e parafernália eletrônica dos quais a metade se resume no refrão: Tyoowoohoo. Outra de destaque é a “everything in its right place” dos britânicos do Radiohead que lembra uma convulsão de sons e frases disconexas entre as quais acompanhadas por um piano e sintetizador de voz:”Yesterday i woke up sucking a lemon” ou seja, está tudo em seu devido lugar. Veja uma apresentação ao vivo da banda Sigur Rós interpretando 'Svefn-g-englar'.



Qual é a melhor trilha sonora do Cinema? Continue votando! Para saber como está a votação, clique aqui! Caso não concorde com nenhum desses, escreva no comentário e deixe sua opinião.



Equipe do Sessões

17 comentários:

  1. Meu voto: Closer...
    Mesmo não tendo ganho prêmios, não ser reconhecidamente uma das melhores trilhas da história, voto nela pois o filme pra mim é muito marcante e Damien Rice é fenomenal!
    Não fique apenas em Blower's Daughter, procure algo mais de Damien Rice.

    Mas foram belíssimas as escolhas!

    Vitor Stefano
    Sessões

    ResponderExcluir
  2. Meu voto vai para Na Natureza Selvagem, pela precisão e grandiosidade dos sons.
    Embora por problemas técnicos ainda não tenha sido computado.

    Lista batuta!

    ResponderExcluir
  3. Minha preferida: Into the Wild.
    Por quê? Ah! Ponto para Eddie Vedder, ele acertou mais uma vez.
    Cada uma das canções, melodias e letras, nos introduzem de forma definitiva e singular na contestadora visão de Christopher McCandless em relação à simples e desafiadora arte de viver. Acho que vou refletir “Into the Wild” eternamente. Lições para posteridade.

    ResponderExcluir
  4. É, meu voto vai p/ Natureza Selvagem.
    Por um único motivo, é p/ pensar no conjunto trilha sonora + filme, e esse definitivamente forma um conjunto perfeito, pois não existe quem não comente do filme, e das músicas ao mesmo tempo........
    E mais, quem poderia achar o filme + ou -, e acabou falando que gosta mesmo, por que foi simplesmente seduzido pela trilha sonora!!!

    Closer excelente, mas Natureza Selvagem me marcou...

    ResponderExcluir
  5. E. T. Até hoje quando ouço a música, me vem uma coisa boa...é como se eu percebesse que os meus olhos estão brilhando naquele momento. Bate uma saudade da infância e do cheiro de bolo que vinha da cozinha enquanto eu assistia à Sessão da Tarde.

    ResponderExcluir
  6. Meu voto seria para The Commintiments ou Tommy, mas como foram vencidos, não aparecem nesta votação. Desta maneira, vou escolher a trilha do ET, que é trilha própria, feita com orquestra, ou seja, não é uma coletânea, nem é um filme-musical.

    ResponderExcluir
  7. Meu voto vai para Damien Rice, com certeza, pois a música é linda (viajo quando ouço, rs ), assim como a maioria de suas músicas.

    ResponderExcluir
  8. Meu voto vai para:"How Soon is now" do smiths em closer;My favourite things em Dançando no Escuro;Ludwig Van Beetoven em Laranja Mecânica;Lou reed com Perfect day em Trainspoting e Society em Into the Wild e lógoco Radiohead e Sigur em Vanila's.

    Fernando Moreira dos Santos
    Sessões

    ResponderExcluir
  9. Pô, mas também vocês tão querendo um voto entre ouro e dourado.

    Dentre estes votaria pelo menos um em cada um (com excessão de cazuza e lisbela e o prisioneiro).

    Meu voto é para todos, nada dessa unidunitê comigo não.

    E viva Bernard Herrmann!

    ResponderExcluir
  10. Para mim, a melhor trilha sonora não está na lista: a do filme Réquiem para um Sonho

    (http://www.youtube.com/watch?v=wlHIz96Fyls)

    Também senti falta do The Commitments.

    Mas dentre os candidatos, fica muito difícil dizer qual o melhor... fico com o Buena Vista.

    ResponderExcluir
  11. Dificil escolher entre E.T e STAR WARS...são trilhas inesquescíveis para qualquer pessoa. Até mesmo pra quem nunca viu esses dois filmes.
    Acho CLOSER um saco de musica chata, musiquinha, nada de trilha sonora.
    Legal essas votações do Sessões!

    ResponderExcluir
  12. Muitas trilhas fenômeno ficaram de fora, mas hoje acho que se tivesse Moonwalker na lista teria meu voto com certeza. Estou tomado por um sentimento de luto e saudade de tudoo que este filme e a música representou para mim por um tempo... Salve o Rei do Pop e a Sessão da Tarde!

    ResponderExcluir
  13. Mas eu sei que esta sensação vai passar... Ai, ai!

    ResponderExcluir
  14. Olha, Buena Vista Social Club tem músicas maravilhosas. Meu voto vai pra ele. Mas cabe dizer que faltou a trilha sonora de um filme grandioso do Guy Ritchie chamado "Lock, Stock and 2 Smoking Barrels" (traduzido como "Jogos, trapaças e dois canos fumegantes"). Na trilha tinha James Brown, Stooges e o Sting até faz uma ponta...

    ResponderExcluir
  15. Digamos que "Buena Vista" seja hors concours (mesmo porque, a rigor, não é uma trilha sonora, mas o próprio tema do filme).

    Então meu voto vai pra "Pulp Fiction", a obra prima de Tarantino - cineasta que tem uma carreira irregular, mas sabe "montar" trilhas sonoras como ninguém.

    Agora, faltou "O Poderoso Chefão", né?

    ResponderExcluir
  16. Eu voto em "Into the wild" .Pelo trabalho brilhante do Eddie Vedder.

    ResponderExcluir
  17. Grande Novidade do Momento

    Galeria de Camisetas dos Beatles e outras bandas de rock, e cartoons famosos.
    www.elo7.com.br/strawberryfieldsshop

    Aguardo comentários, visitas, e sugestões

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...