sexta-feira, 30 de abril de 2010

Maranhão 66


Maranhão 66 (1966) on IMDb

“Tomava eu posse no Governo do Maranhão e fiz uma ousadia que não deveria ter feito com um amigo da estatura de Glauber Rocha. Eu lhe pedira, que documentasse a minha posse. Glauber fez o documentário que foi passado numa sala de cinema de arte, há 15 anos. E quando o público viu que uma sessão de cinema de arte ia ser passado um documentário que podia ter o sentido de uma promoção publicitária, reagiu como tinha que reagir. Mas aí, o documentário começou a ser passado, e quando terminaram os 12 minutos o público levantou-se e aplaudiu de pé, não o tema do documentário mas a maneira pela qual um grande artista pôde transformar um simples documentário numa obra de arte: ele não filmou a minha posse, ele filmou a miséria do Maranhão, a pobreza, filmou as esperanças que nasciam do Maranhão, dos casebres, dos hospitais, dos tipos de ruas, e no meio de tudo aquilo ele colocou a minha voz, mas não a voz do governador. Ele modificou a ciclagem para que a minha voz parecesse, dentro daquele documentário, como se fosse a voz de um fantasma diante daquelas coisas quase irreais, que era a miséria do Estado”.
Senador José Sarney ao Jornal do Brasil (Rio de Janeiro, 25 de Agosto de 1981).

A discrepância da voz e da imagem. Sarney diz, o povo nega. Ouve-se de crescimento e vemos a fome. Diz-se sobre um Maranhão forte e vê-se um Maranhão pobre. Falou-se sobre um Maranhão sem corrupção, livre e vemos que o Sarney continua o mesmo, dá aulas de discursos e de mentiras. O Maranhão de 66 muito se assemelha com o Maranhão de 10 e o latifundiário continua o mesmo. Sarney e família continuam a imperar numa terra com dono definido.

Glauber monta o curta de forma magistral, entre o sonho e realidade, talvez prevendo que Sarney tornar-se-ia um dos maiores políticos desse nosso país e que promessas e inverdades fazem parte de sua vida e, infelizmente, sempre o farão.

Glauber com o dinheiro pago para fazer Maranhão 66 ele conseguiu financiar um de seus maiores feitos, 'Terra em Transe'. Portanto 'Maranhão 66' é o único momento desse país em que o Exmo. Sr. José Sarney fez algo de bom para a nação brasileira. Obrigado Sarney, apenas por isso. Obrigado Glauber, por ter nascido e vivido brasileiro.

Vitor Stefano
Sessões

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...