terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Quebrando a Banca

Nome original: 21
Diretor: Robert Luketic
Ano: 2008
País: Reino Unido, EUA e França
Elenco: Jim Sturgess, Kevin Spacey, Kate Bosworth e Laurence Fishburne.
Sem Prêmios.
Quebrando a Banca (2008) on IMDb


Cartas. Cassinos. Apostas. Jogo de azar. Há especialistas que não pensam assim. Jogos é para fracos. O que deve ser feito é contar. Pena que contar nos cassinos é proibido e duramente combatido pelos seguranças e patrulheiros por trás dos olhos das câmeras que vigiam tudo 24 horas por dia. Lá dentro há a impressão que é sempre dia, tudo está lindo, o sol está raiando e pensar que o tempo não está passando vicia a mente. Assim como a utopia de vencer quando o que se está fazendo é arriscar por um jogo de azar. Azar de quem não sabe contar... Ou de quem sabe, mas não sabe disfarçar.

Ben Campbell é um estudante do M.I.T. de Boston e tem um único objetivo. Acumular 300 mil para transferência para a Escola de Medicina de Harvard, já que vem de uma família trabalhadora e que não tem como bancar a vida estudantil do rebento. Mas ele, humilde, simples e obstinado trabalha para acumular o valor necessário. Infelizmente, esse tipo de aluno nos EUA sofre muito e dificilmente consegue seu objetivo. Mas subtamente aparece uma novidade na vida dele. Fazer parte de uma equipe de 21. Sim, o famoso blackjack.

Sob a batuta do professor Rosa já fazem parte do grupo: Jill, Choi, Kianna, and Fisher. Dos estudos do jogo e de sinais para a prática nas mesas, Ben integra-se à equipe com facilidade e supera as espectativas de todos, chamando a atenção. Obviamente causa ciumes e cria algumas situações dentro do grupo, mas o que realmente impressiona é a inteligência desses alunos da M.I.T. tentando subverter o sistema. Chega a causar inveja e mudar totalmente seu pensamento. Por vezes esquece de quem era em Boston. E pensar que tudo isso aconteceu de verdade.


Com uma boa linguagem e roteiro dinâmico o diretor Robert Luketic faz seu melhor filme. Após uma carreira de comédias românticas como “Legalmente Loira” e mais recentemente “A Verdade Nua e Crua”, faz de “Quebrando a Banca” mais do que só mais um filme sobre cassinos. Por trás das cartas temos inteligencia, rapidez, ganância e traição. Onde há dinheiro há seres humanos querendo sobrepor outros seres humanos, se é que esses animais alimentados por papel com valor definido por outros animais são humanos. Kevin Spacey, que sempre está bem, faz um ótimo papel como professor arrogante e disciplinador. Já os louros ficam por conta do jovem Jim Sturgess, que está estupendo em “Across the Universe” e aqui está atuando como gente grande. Um dos jovens com melhores perspectivas do cinema americano. O menino cresceu e estrela esse filme rápido, envolvente e cada vez que vejo fica melhor. Vale a pena como um ótimo passatempo e dá uma vontade de se perder nas luzes de Vegas e tornar-se um viciado em roletas, cartas, caça-níquel... Alguem me acompanha?

Vitor Stefano
Sessões

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...