terça-feira, 19 de outubro de 2010

Sete Vidas

Nome original: Sete Vidas
Diretor: Marcelo Spomberg e Zé Mucinho
Ano: 2007
País: Brasil
Elenco: Ariel Moshe, Christiane Tricerri, Etty Fraser, Luisa Mell, Mairun Seva, Marcelo Mansfield, Prof. Jayro, Selton Mello
Prêmio: Melhor Filme no Júri Popular no Brazilian Film Festival of Miami e pelo Júri Oficial no FANTASPOA, Melhor Roteiro no Brazilian Film Festival of Miami, Prêmio CTAV no Festival Internacional de Curtas de São Paulo, Melhor Roteiro no Jornada Internacional de Cinema da Bahia e Menção Honrosa - Ator no Primeiro Plano - Festival de Cinema de Juiz de Fora.


Que Selton Mello tem uma carreira longa como dublador não é novidade para ninguém. Já o ouvimos como Charlie Brown, Ralph Macchio em Karate Kid 2 e 3, Asnésio do desenho Duck Tales e o personagem Brandon Walsh nos Goonies. Mais recentemente deu voz a personagens das animações ‘A Nova Onda do Imperador’ e ‘Irmão Urso’, além do pitoresco aparelho doméstico que dá nome ao filme ‘Reflexões de um Liquidificador’. Essa longa jornada como dublador o capacitou a dublar o personagem central desse curta-metragem: um gato.

Imaginar que os escritores depois de mortos encarnam nos felinos é um tanto criativo, porém o curta não se restringe apenas a esse detalhe. A lenda diz que gatos tem sete vidas. Aqui no vemos que o gato faz parte de sete vidas de pessoas totalmente diferentes, porém todas tem algo em comum: pensam ser donos do gato e vivem suas vidas contando com a sua presença diariamente. Independentes que é, ele perambula por diversos locais sem donos e sem casa, mesmo tendo 7 de cada.

Além do belo bichano, a melhor participação é de Marcelo Mansfield na pele de um padre que dedica suas tardes a ouvir música com o gatinho. Não ouvimos em nenhum momento músicas sacras ou cristãs. Ouvimos uma batida, um rap que entoa: “Graças a Deus, eu sou Ateu”. Mansfield como padre é como Bush de Papa, sensacional. Outro destaque positivo é a presença de uma dona que gosta de ver gatos acasalando, uma verdadeira representante da ‘felinofilia’. Também temos a aparição modorrenta da defensora dos animais, Luisa Mell - mais sem sal impossível.

Vale a pena ver o gato com a voz do Selton Mello, num curta um pouco mais longo, mostrando que a vida de escritor/gato pode ser mais aventureira do que parece. Aliás, com sete vidas, certamente a vida passa mais rápido do que com uma só.


P.S.: Como perceberam, não se trata do filme homonimo de 2008, estrelado por Will Smith.

Vitor Stefano
Sessões

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...