sexta-feira, 18 de junho de 2010

Ensaio Sobre a Cegueira

Nome Original: Blindness
Diretor: Fernando Meirelles
Ano: 2008
País: Canadá, Brasil e Japão
Elenco: Julianne Moore, Danny Glover, Alice Braga, Mark Ruffalo, Gael García Bernal, Don McKellar, Maury Chaykin, Martha Burns
Ensaio Sobre a Cegueira (2008) on IMDb



O Sessões comenta o filme Ensaio Sobre a Cegueira como forma de fazer um pequena e singela homenagem ao grande escrito português José Saramago, que morreu nesta sexta-feira (18/06).
O filme de 2008 dirigido pelo diretor brasileiro Fernando Meirelles é baseado no livro homônimo de Saramago, publicado em 1995. Em Ensaio Sobre a Cegueira, uma inexplicável epidemia chamada de "cegueira branca" atinge a humanidade, sem explicações.

Começa com um homem parado em seu carro num farol de São Paulo e pouco a pouco se espalha pelo país. À medida que os afetados são colocados em quarentena e os serviços oferecidos pelo estado começam a falhar as pessoas passam a lutar por suas necessidades básicas, expondo seus instintos primários.

Em meio ao caos, a única pessoa que ainda consegue enxergar é a mulher de um médico (Julianne Moore), que juntamente com um grupo de internos tenta encontrar a humanidade perdida.O longa foi a única obra do escritor que foi adaptada para o cinema.

Sobre o livro, Saramago disse o seguinte: "Este é um livro francamente terrível com o qual eu quero que o leitor sofra tanto como eu sofri ao escrevê-lo. Nele se descreve uma longa tortura. É um livro brutal e violento e é simultaneamente uma das experiências mais dolorosas da minha vida. São 300 páginas de constante aflição. Através da escrita, tentei dizer que não somos bons e que é preciso que tenhamos coragem para reconhecer isso."

Saramago foi o único escrito portugues a receber o Prêmio Nobel de Literatura. Sua obra permanece. Ele é imortal.
Carlos Nascimento
Sessões

2 comentários:

  1. Pouco conheço da obra de Saramago, mas é inegável a importância dele na literatura portuguesa (digo, da lingua portuguesa). E Fernando Meireles consegue impactar exatamente com o que o escritor queria. Pela aflição. É muito mais aterrorizante do que qualquer filme de terror.

    Saramago também era um revolucionário por sua essência. O mundo esquerdista perde mais um dos seus líderes, que cada vez são menos e menos esquerdistas. A democracia que ele tanto cultuava, infelizmente, não reina no reino que vivo.
    Se ele voltar, se é que voltam, que volte logo. Se ele nunca mais voltar, como ele acreditava, obrigado pelo legado deixado.

    Vitor Stefano
    Sessões

    ResponderExcluir
  2. Que bom que ele foi tarde. 87 anos não é pra qualquer um! Que sua obra perpetue por muitos e muitos anos. Amém

    Leandro Antonio
    Sessões

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...