segunda-feira, 7 de junho de 2010

Cinéma Erotique

Nome Original: Cinema Erotique
Diretor: Roman Polanski
Ano: 2007
País: França
Elenco: Jean-Claude Dreyfus, Sara Forestier, Sylvia Kristel e Édith Le Merdy
Parte do Projeto Cada um com Seu Cinema em comemoração do 60º Festival de Cannes.



Tudo que Polanski gosta está nesse curta. Ele conseguiu inserir vários aspectos que são visíveis em toda a sua filmografia em apenas 2 minutos e 40 segundos de vídeo. Além do obvio erotismo por conta do nome do curta, o humor negro e um certo suspense cercam aquela sala de cinema quase vazia. Cinemão clássico, filme semi-erótico e um casal na platéia. Nos remete aos cinemas do centro da cidade de São Paulo que viraram exibidores das produções, digamos, sobre o amor livre. Deixaram o passado cinematográfico do nosso centro histórico a mercê de desrespeitadores da 7ª arte. Mas ainda bem que o Cine Marabá retornou para dar um pouco mais de vida cinematográfica ao centrão paulistano.

Porém, com muita classe e elegância, sem perder o pudor, Polanski consegue dar sensações diferentes em pouco tempo. Ele é polêmico e um cineasta de mão cheia. Não há como negar essas duas qualidades!

Ótimo curta do ótimo DVD 'Cada um Com seu Cinema' para o 60º aniversário do Festival de Cannes, prêmio que venceu por 'O Pianista'. Todos os cineastas fazem a sua percepção sobre o amor no cinema. E temos resultados maravilhosos, como do franco-polonês.

(escrito posterior a apelos conclusivos)

Como é perceptível pelos comentários, a falta da legenda nos levam a um mundo incompleto, onde conseguimos sentir o que vemos, mas não entendemos porque nem o que estão fazendo. Portanto, segue esse mesmo vídeo, em velocidade duplicada, com legendas para compreensão do humor por trás de um ótimo curta. Talvez o sexo fique no segundo plano, como ele merece (nesse vídeo). Aproveitem e comentem. Se puderem, vejam sem e com a legenda e percebam a graça por trás de julgamentos pré concebidos. Veja:



Vitor Stefano
Sessões

6 comentários:

  1. É nessas horas que saber francês faz falta, hehehe... Só acho q faltou a legenda, né!

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Alessa. Acho que o francês fez falta não, a legenda sim...hehehehe! Bom é que abriu pra livre interpretação de nós, o povo não-falante da língua do amor. Discordo do Vitor que parece com os cinemões de São Paulo. Lembro-me muito bem do Top Cine, que antes de fechar, sempre tinha um público assim. Não falo francês, mas tá na cara de que o filme é mais culturete que erótico, embroa tenha um cartaz de Emannuelle, que se não fosse a minha cultura adolescente de Cine Pivê eu também nem saberia quem era...hehehe.

    Todo meu amor a Herbert Richards e a todos os milhares de seres humanos que não medem esforços para traduzir as coisas do cinema em um mundo em que não dá muito tempo e nem oportunidade para você se aprofundar em coisas interessantes, como outra língua por exemplo.

    Leandro Antonio
    Sessões

    ResponderExcluir
  3. Fiz inúmeras tentativas de colocar o vídeo com a legenda. De tanto insistir sem sucesso, o fiz assim mesmo. E quando vi sem legendas, fez um sentido absurdo. E: "Je ne parle français".

    E essa é a magia do cinema. Há filmes que nem precisam de palavras, as imagens dizem tudo! Obvio que gênios como Herbert Richards fazem um diferencial absurdo para o cinema, mas Polanski consegue através do visual mostrar que é capaz de fazer um cinema para todos.

    Tentem ver e esqueçam o frances e a falta de legenda. Fará muito sentido mesmo assim...

    Vitor Stefano
    Sessões

    ResponderExcluir
  4. Como todos, você não aguentou, e foi atras do explicito para aparecer, ridiculo!!!
    Desculpa mas se gestos totais explicitos, seios amostra e um homem batendo uma, é um semi-erotico.....
    preciso rever meus conceitos....

    ResponderExcluir
  5. Acho forçado para um blog, que tem livre acesso para tudo e todos.

    ResponderExcluir
  6. com legendas fica realmente comico!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...