terça-feira, 22 de março de 2011

Person

Nome Original: Person
Diretor: Marina Person
Ano: 2007
País: Brasil
Elenco: Luis Sérgio Person
Prêmios: Menção especial no Festival Latino Americano de Trieste.
Person (2007) on IMDb


Retratar um dos maiores cineastas que esse país já teve dá um documentário e tanto. Vê-lo sob os olhos de outros gigantes do cinema, é ainda mais fantástico para a compreensão do homem e do artista. Para tornar-se definitivo, só faltava ter a mão da família. Pois é, “Person” é definitivo sobre o maior cineasta paulista de todos os tempos. Uma vida que acabou cedo mas uma obra que nunca deixará a prateleira dos maiores filmes brasileiros de todos os tempos. Numa inversão de papéis, L.S. Person é o personagem e Marina Person, tantas e tantas vezes filmada pelo pai, a cineasta. Retratar o próprio pai, que faleceu aos 39 anos, quando as filhas ainda eram crianças, não deve ter sido tarefa fácil para uma estréia, mas definitivamente foi como vê-lo, abraçá-lo e conversar muito com ele. Como um diário, mas sem lamentos, apenas com a felicidade de poder ter “encontrado” seu velho.

Recheado de fotos e filmes caseiros em Super 8, as lembranças familiares de Luis Sérgio Person são recheadas de elogios ao pai carinhoso e ao marido zeloso. Já o cineasta é desnudado por si só, através de entrevista concedida pouco antes de sua morte, e pelos seus grandes amigos e parceiros de trabalho. A escolha dos depoentes foi certeira, com grandes nomes do cinema nacional como Eva Wilma, Raul Cortez, Carlos Reichenbach, Walmor Chagas, Paulo José, José Mojica. Os momentos de maior exploração estão nos depoimentos de seu grande parceiro: Jean-Claude Bernardet, o maior teórico sobre cinema brasileiro, contando dos momentos de criação vividos com o Person.



Mesclando dizeres e trechos dos seus filmes, “Person” fica marcado na memória por retratar um dos nossos maiores. Eryk Rocha versou liricamente sobre Glauber em “Rocha que Voa”, Marina retratou, conheceu e apresentou Person à uma geração que só ouve falar sobre o cinema político dos anos 60 e que só cultua Glauber por parecer hype e na verdade nada sabe do que foi retratado na tela. Eu não sei.

Jorge Ben Jor é o responsável pela trilha sonora, alegre como sempre, mas aqui com certo respeito e saudosismo por seu amigo. As imagens captando Marina de costas ouvindo as histórias de seu pai, ou em frente às câmeras retratando as suas lembranças fez um filme de culto à seu pai para si, para sua família como uma memória póstuma. Cortesmente cedeu à nós a oportunidade de conhecer o mais íntimo de Person. Não apenas de Luis Sérgio, mas sim de toda a família. E definí-lo é definitivamente imposível. Não há adjetivos palpáveis àquele turbilhão de inventividade dentro daquele corpo. E nada melhor que ouvir "Domingas" (nome da irmã de Marina) na voz de Jorge Ben.


É impossível não querer rever a obra de Person. Indo além dos definitivos e (merecidamente) aclamados “São Paulo Sociedade Anônima” e “O Caso dos Irmãos Naves”. Ver tudo, até os que ele mesmo considerou erros imperdoáveis. Person está em todos eles, seja no olhar, no personagem, na ideologia ou mesmo na vontade de se divertir. “Person” é um marco para fazer renascer um personagem único da história cinematográfica brasileira. Vamos recomeçar, eternamente.

Vitor Stefano
Sessões

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...