terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Operação Big Hero



Nome Original: Big Hero 6
Ano: 2014
Diretor: Don Hall e Chris Williams
País: EUA
Vozes: Scott Adsit, Ryan Potter, TJ Miller, Jamie Chung e Damon Wayans Jr.
Prêmio: Oscar de Melhor Animação.
Operação Big Hero (2014) on IMDb


As ciências são tão enigmáticas. É o poço de esperança de um futuro melhor e a possibilidade de fim da existência humana na Terra. Sim, há um enorme vale na utilização de novas tecnologias, suas formas e interesses. Imagine um robô que escaneia seu corpo, identifica doenças, dá diagnósticos e auxilia em emergências. Imagine que ele te abrace num momento de tristeza ou depressão. Sensacional. Mas e se essa ou outra tecnologia foi roubada para enriquecimento próprio ou vingança. Novas tecnologias são sempre bem vindas, mas saber utilizá-las é ainda mais importante do que realmente cria-las.

O jovem Hiro é um pequeno prodígio. Sabe tudo de robótica e gosta mesmo é de se divertir com a criação e com as lutas de robôs, pratica proibida, mas muito praticada em San Francistokyo (sim, a mistura das duas cidades). Tadashi, seu irmão, é estudante de tecnologia e vê que seu irmão pode acabar se perdendo com o vício das lutas. Ele trabalha no incrível robô assistente de saúde. Quando mostra ao pequeno seu projeto e o de seus colegas de faculdade, Hiro sabe o que quer: entrar nessa faculdade, com esses professores. Sua genialidade causa interesse comercial, mas ele quer mesmo desenvolver ainda mais o projeto. Uma tragédia acontece. Hiro quer descobrir o que realmente aconteceu. Com ajuda dos amigos da faculdade e do robô Baymax vai atrás de aventuras e de justiça.


“Operação Big Hero” é o “Frozen” para meninos, com personagens mais carismáticos, um herói robô-fofo e sem aquela música infernal de Lerigou. Seu grande trunfo é passar uma boa mensagem aos pequenos, mostrando que a ciência pode ser algo muito bacana e aplicável no dia-a-dia. Mas não é só uma mensagem bonitinha não. Há um bom melodrama que faz com que os adultos também se emocionarem e se conectarem àqueles super-heróis improváveis. Claro que o destaque geral não é para o menino Hiro, mas sim para o robô Baymax, com sua mensagem pacifista, amorosa e com o aspecto de boneco da Michelan, que faz com que queiramos abraçar aquele robô o tempo todo. “Operação Big Hero” deixa boa impressão e tem fôlego para que venham sequências dessa turma. O mais interessante é a clara inspiração e homenagem aos mangás, obviamente, com a disneyzação necessária para a aceitação do publico americano (e brasileiro).

Vitor Stefano
Sessões

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...