quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Nebraska




Nome Original: Nebraska
Ano: 2013
Diretor: Alexander Payne
País: EUA.
Elenco: Bruce Dern, Will Forte, June Squibb, Bob Odenkirk e Stacy Keach.
Prêmios: AFI Award – Filme do Ano, Melhor Ator (Dern) do Festival de Cannes e Prêmio da Audiência no Festival Internacional de Rotterdam.
Nebraska (2013) on IMDb
 

Uma mentira e um crédulo. É tudo o que precisamos para ter uma história. Simples, direta e deliciosa. Isso é “Nebraska” o novo filme de Alexander Payne, reconhecido pelo delicioso “Sideways” e o premiado “Os Descendentes”, mas que será agora lembrado por este novo filme. Payne colocou elementos dos seus filmes anteriores misturados e resultou em seu melhor filme. Não é apenas um road-movie ou um simples conflito familiar. “Nebraska” se constrói em torno de Woody Grant, senhor, teimoso, alcoólatra e que acredita ter ganhado um milhão de dólares naqueles cupons de revistas. Todos sabem ser uma mentira, mas ele está determinado a deixar Billings no estado de Montana, aonde mora, e ir até Lincoln, Nebraska. 830 milhas. Ele o fará, nem que seja a pé. Nem que seja contra toda a família. Nem que seja a última coisa a fazer. 

Após diversas tentativas de ir caminhando, sempre interrompida pelos filhos ou pela mulher, David, o filho mais novo, contrariando a mãe ranzinza e o filho bem sucedido, cede e decide fazer a vontade do pai. Por paisagens lindas visitamos o interior dos Estados Unidos com a sensação de que estão parados no tempo, claro que o branco e preto dão ainda mais essa impressão. Mas é uma linda impressão. Entre uma parada e outra sempre há espaço para uma cerveja. Às vezes mais do que uma. Mas uma parada é especial para Woody. Hawthorne, antiga cidade, onde conheceu sua esposa, onde deixou amigos, onde está o resto de sua família. Instantaneamente Woody vira uma celebridade por estar milionário. O seu novo status trás à tona uma infinidade de pessoas com más intenções ou felizes por sua glória. Mas não importa o que está no passado, o melhor é o road movie que David faz dentro da alma de seu velho pai.

“Nebraska” é de uma beleza encantadora. É de uma delicadeza impar. É uma deliciosa empreitada para o íntimo de um ser tão distinto. Repito que Payne fez seu melhor filme e isso não é pouco. É uma delicia, revigorante, libertador. Bruce Dern estava em minha mente apenas como um ator médio, pai da Laura. Bom, Laura, você é filha de Bruce Dern e sempre será. Que grande ator. Que grande atuação como Woody Grant. É o ponto central que acompanhamos com muita graça e vontade. No compito geral “Nebraska” é uma maravilhosa reflexão do relacionamento entre pai e filho, em ser bom e ser humano. É, definitivamente, uma questão humana.

Vitor Stefano
Sessões

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...