sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Bastardos



Nome Original: Les Salauds
Ano: 2013
Diretor: Claire Denis
País: França e Alemanha.
Elenco: Vincent Lindon, Chiara Mastroianni, Julie Batille, Michel Subor, Lola Créton, Grégoire Colin.
Sem Prêmios.
Bastardos (2013) on IMDb

 


O barulho é ensurdecedor. Pode causar náuseas, vômitos e delírios. Claustrofóbicos devem ficar atentos e puritanos manter distância como mantêm o temor por Deus. Ver um mundo que pode ser real na esquina da sua casa, no seu vizinho ou na sua própria família de forma tão pessimista nos coloca no nosso lugar, com os pés no chão, mesmo que abaixo esteja apenas o diabo. Mesmo que pareça que vivemos num mundo maniqueísta precisamos encarar a realidade, por mais sadomasoquista que isso pareça ser. Claire Denis nos apresenta um inferno. Vivemos num. Somos parte de um. Estamos no meio de um tiroteio entre capitalistas, estupradores, pedófilos, pederastas, infiéis e assassinos. Para onde correr? Como dormir com esse barulho?

Logo ao começo do filme já percebemos que a câmera estará quase que de forma unânime em zoom in, criando um clima angustiante logo nos primeiros frames. Um suicídio. Uma jovem andando nua e de salto alto pelas ruas. Marco Silvestri retorna do navio do qual é capitão para ajudar a irmã Sandra, esposa do morto e mãe da jovem perturbada. Marco tem um único objetivo: investigar o magnata Edouard, acusado pela irmã como estopim para os eventos ocorridos. Marco se instala vizinho à Raphaelle, amante de Edouard, a fim de descobrir os pormenores. Os laços de sangue são como orgulho para todo mundo, mas aqui, podemos ver que o sangue não é tão vermelho assim. O pervertido pode estar dentro de sua casa. O pervertido pode estar dentro da sua mente.


A narrativa de ações interrompidas e tempo abstrato servem para confundir, misturar histórias totalmente vinculadas. Como disse, a câmera é próxima e tem o intuito de presenciarmos cada ação.  Apesar da história pesada Claire opta por não mostrar. Tudo acontece, mas nós é que criamos as imagens em nossas mentes. Um grande elenco, mas é impossível não pensar em Vincent Lindon. Um craque das telas. Um ator impar. Claire é sempre polêmica. Seus filmes instigam a pensarmos em coisas improváveis, mas que são absolutamente reais. Pensar num mundo cor de rosa é viver um conto de fadas. Claire nos mostra que o mundo é belo, mas a verdade é um conto de terror. Um ótimo filme, para quem tem estômago forte.


Vitor Stefano
Sessões

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...