quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Feliz Natal (Joyeux Noël)

Nome original: Joyeux Noël
Diretor: Christian Carion
Ano: 2005
País: França; Alemanha; Reino Unido; Bélgica e Romênia
Elenco: Diane Kruger, Dany Boon, Daniel Brühl, Guillaume Canet, Benno Fürmann e Gary Lewis
Prêmios: Nomeado ao Oscar de Melhor Filme de Lingua Não Inglesa pela França.
Feliz Natal (2005) on IMDb



Joyeux Noël, Merry Christmas ou Frohe Weihnachten. Não importa a língua que se fala, não importa qual a religião, não importa a nacionalidade. O importante é o sentimento que a época do Natal causa nas pessoas. Mesmo que em um tempo conturbado como qualquer guerra.

Nesse espetacular filme, onde na Primeira Grande Guerra é apenas a base de fundo, um fato inexperado aconteceu e houve um dia, somente 1, em que o espírito natalino esteve acima dos interesses dos britânicos, franceses ou prussianos. No mesmo front, na conhecida Terra de Ninguem, franceses, escoceses e alemães dividiam o território,cada um em suas trincheiras, em 1914, início da Primeira Grande Guerra. Dia 24 de dezembro, todos querem estar em suas casas mas bombardeios e tiros preocupam. Teme-se não conseguir voltar para casa. A noite chega e ouve-se as gaitas-de-Fole dos escoceses, o tenor alemão cantando e os franceses estourando suas famosas Champagnes. A famosa Tregua de Natal (leia as cartas originais dos combatentes ingleses vivos no site - http://www.christmastruce.co.uk/ ). Veja a cena abaixo:




Como não se emocionar. Mesmo não entendendo nada do que está sendo cantado ou não conhecer a melodia tocada, o que importa é o sentimento que toca o coração. Emocionante essa história real onde o cessar-fogo fez de todos ao menos uma noite, felizes por estarem lado a lado com seus inimigos. Aliás, ali não existiam inimigos, mas sim seres humanos obrigados a defender um país. Enquanto o nacionalismo e o individualismo sobreporem o humanismo guerras acontecerão e jamais acabarão.

19 milhões de pessoas morreram e em apenas uma noite em um front de batalha não houve nenhuma morte. Porque lembrar apenas dos ensinamentos que o nascimento de Jesus trouxe aos cristãos do dia 24 para o dia 25 de dezembro (como hoje)? Talvez essas vidas não tivessem sido perdidas numa Guerra, como todas as outroas, estúpida e sem propósito. Somos hipócritas em pensar na véspera natalina no que fizemos e em perdoar quem nos tenha ofendido, pois deveria ser um trabalho diário para termos a paz que tanto queremos. Só cobrar dos chefes de Estado é cômodo, façamos nós mesmos todo dia um dia de Natal.

Feliz Natal.

Vitor Stefano
Sessões

Um comentário:

  1. Feliz Natal é um filme lindíssimo mesmo. Faz qualquer um cair em si de como as guerras são estúpidas.
    De ambos os lados, são apenas pessoas.
    E não me lembro de outro filme em que o verdadeiro sentido do Natal esteja tão presente.
    Belo post!
    Abs!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...