quinta-feira, 8 de julho de 2010

O Filho do Rambow

Nome Original: Son of Rambow
Diretor: Garth Jennings
Ano: 2007
País: França, Reino Unido e Alemanha
Elenco: Neil Dudgeon, Bill Milner, Jessica Hynes, Anna Wing e Will Poulter
Prêmios: Melhor Comédia no Empire Awards e Melhor Filme pelo Público no Festival Internacional de Locarno.
O Filho de Rambow (2007) on IMDb



O que podemos esperar de um filme com esse nome? Um lixo, uma balburdia, um roteiro horroroso, atuações dignas de Sylvester Stallone ou até a continuação daquela trilogia que marcou os anos 80, onde os estadounidenses são os herois matadores bonzinhos e os vietnamitas são os carinhas do mal. Traduzindo: Espera-se uma m... de filme. Comecei vendo o filme com essa armadura, mas ela foi caindo e despedaçando-se no chão até me deixar totalmente preso e entretido. Enganei-me completamente e certamente muitos não o viram por preconceito com o nome, um tanto quanto horroroso. Não se acanhem e vejam pois é uma fábula linda e uma lição de ingenuidade. E depois do filme, não há como pensar em outro nome.

A história baseia-se na amizade entre Will e Lee, crianças de 11 anos, vivendo os anos 80. Eles tem temperamentos e educações totalmente diferentes. Lee é o esquentadinho, abandonado pela família e vive com o irmão mais velho. Já Will é a criança ingênua, educada em família rígida e religiosa. Eles viram amigos quando são expulsos da sala de aula. Lee precisava de um duble para o seu filme e Will topa. O nome do filme dentro do filme é “Son of Rambow”. Então Will abandona as orações diárias para se dedicar ao amigo e à diversão que o filme lhe causa, feito com uma câmera caseira do irmão de Lee - seu exemplo, seu herói.

Com o tempo obstáculos vão crescendo e a amizade tem altos e baixos, como todas amizades e a vida, principalmente com a chegada de um francês na escola, que começa a chamar muita atenção. Mas mesmo assim, a lição da ingenuidade das crianças e do valor da amizade, fazem de "O Filho do Ramow" uma fábula de companheirismo, irmandade e de como é bom ser criança - que enche nossos corações de esperança. Para melhorar o ótimo roteiro, que não perde o ritmo, a trilha sonora é recheada de grandes artistas daquela década como Duran Duran, Siouxie and the Banshees e The Cure.

Eu queria ser o filho do Rambow.

Vitor Stefano
Sessões

2 comentários:

  1. Tem um quê de "Little Miss Sunshine"... Aquela falta de noção infantil.
    Quero assistir!
    Abs!

    ResponderExcluir
  2. Excelente o filme recomendo!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...