quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)



Nome Original: Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance)
Ano: 2014
Diretor: Alejandro González Iñarritu
País: EUA / Canadá
Elenco: Michael Keaton, Emma Stone, Zach Galifianakis, Naomi Watts e Edward Norton.
Prêmios: Melhor Ator de Comédia (Keaton) e Melhor Roteiro no Globo de Ouro, Melhor Conjunto de Atores no Screen Actors Guild Awards, Filme do Ano no AFI Awards e outros.
Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) (2014) on IMDb




Quando ouvi dizer que Alejandro González Iñarritu faria uma comédia eu duvidei. Quando disseram se tratar de uma história de um ator decadente que vive à sombra de um papel de super-herói que fez há mais de 20 anos eu desconfiei. Quando vi que Michael Keaton seria o protagonista dessa comédia não dei bola. Assim que a primeira imagem com o Homem Pássaro surgiu eu logo pensei que seria uma queda brusca na carreira de um diretor que tanto apreciava. Quando percebi que ouvi e vi muitas coisas e preconceitos conturbaram minha mente, parei e pensei: “É o Iñarritu, PORRA”. Comédia nada. Filme de ator em decadência é bom demais. Keaton é absurdo. Iñarritu, sempre nos agracia com um cinema de primeira linha, da maior grandeza, que nos faz refletir, repensar, remoer sentimentos que nem lembrávamos existir. “Birdman” é mais do que um filmaço, é uma experiência cinematográfica. Disse isso sobre “Boyhood”, mas agora acho que o filme do Linklater é uma experiência extracinematográfica, quase pessoal do diretor. “Birdman” é cinema para quem gosta de cinema, de roteiro, de atuação, da tela. “Birdman” é genial.

Nem adianta falar sobre o filme. É sobre a vida de artista, a vida do estrelato, a vida atrás dos palcos, a vida de pai, a vida de marido, a vida... Planos-sequencia de tirar o fôlego, quase que num filme contínuo, nos levam a viver a vida de Riggan Thomson. A loucura das prévias da estreia de uma peça dirigida e estrelada por ele nos mostra o melhor e pior de uma estrela decadente. Uma estrela do passado, que sem twitter, facebook, sem vida virtual não é nada pro mundo atual. O fantasma de Birdman que o segue, como um guru ou aqueles anjinhos/diabinhos no ombro de desenho infantil, é seu alter ego tentando mudar sua vida. É ver os colegas de espetáculo com um ar de superioridade, mas superado com um simples enfrentamento. É ver que o ser humano é mais do que um personagem. Todo ser humano é uma persona de si própria. 





Michael Keaton ressurge para o mundo cinematográfico. Um personagem complexo, intenso e que poderia ser uma sombra para ele. Mas não, ele supera o fantasma e brilha, mas não solitariamente. Edward Norton, Zach Galifianakis, Emma Stone e Naomi Watts são coadjuvantes que tem brilho, que chamam atenção e que são contrapontos perfeitos ao Keaton em todas as cenas. Eu destaco Norton e Galifianakis que estão supremos. Essas estrelas em grande desempenho num roteiro absurdo de inteligente, que, junto a uma montagem frenética, envolve o expectador que não cansa de ver a câmera viajando o tempo todo atrás do que está acontecendo. Iñarritu é um diretor absurdo que sempre me suscitou o melhor e o pior após ver seus filmes. “Amores Brutos”, “21 Gramas”, “Babel” e “Biutiful” são filmes obrigatórios. “Birdman” os acompanhará, mesmo que muitos digam que é comédia. É! É comédia, é drama, é aventura, é auto-ajuda, é road-movie, é suspense. "Birdman” é realmente uma aventura cinematográfica. Aperte os cintos e voe com Birdman.

Vitor Stefano
Sessões

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...