segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Entre Abelhas



Nome Original: Entre Abelhas
Ano: 2015
Diretora: Ian SBF
País: Brasil.
Elenco: Fabio Porchat, Marcos Veras, Irene Ravache, Letícia Lima e Luis Lobianco.
Sem Prêmio.
Entre Abelhas (2015) on IMDb


Quem vê Fábio Porchat no pôster do filme já imagina uma comédia escrachada. Quando vê que o diretor é Ian SBF, criador do Porta dos Fundos com o Fábio e outros humoristas tem certeza que virá uma crítica ácida sobre religião ou sobre o cotidiano. Você esbravejará que é mais um desses filminhos comerciais da Globo Filmes, comédias apelativas nível Zorra Total e  que o cinema brasileiro é só essa merda e filme de favela, tudo com ajuda desse governo corrupto e ladrão. Bom, se você pensou isso, guarde seu recalque, cale sua boca e veja “Entre Abelhas”. Claro que a união desses dois gerará um filme que terá humor, mas é uma casca fina em volta de um problema sério e abordado de forma competentíssima: a depressão.

Bruno é um editor de imagens e vem sofrendo com o fim do casamento. O divórcio nem sempre é fácil, mas os amigos e família estão sempre juntos para amparar e distrair. Mas num repente, coisas estranhas começam a acontecer com ele: Pessoas somem. Simplesmente não aparecem mais, em imagens, na tevê ou ao vivo e a cada momento mais somem. Bruno começa a viver uma vida só sua, onde quem o rodeia não existe mais. A depressão é o mal desse século e num mundo onde todos vivem conectados, mas desconectados da realidade, é cada vez mais comum. Toda ajuda é bem vinda e com a seriedade necessária para resolver esses problemas. Uma doença silenciosa e mais perigosa do que um ferimento. Essa ferida, por vezes, não dá para estancar.

O filme fala de depressão sem ser piegas e óbvio. Nem se fala do problema em si, nós vivemos o problema. Uma premissa fabulosa à la Saramago, nos leva a um mundo quieto e misterioso. A invisibilidade dos humanos é algo muito comum no mundo atual, desde o mendigo que mora do lado da sua casa até a tia que limpa o banheiro da empresa. Você escolhe o que ver, mas o mundo não pode ser assim. Todos estão à sua volta influenciam na sua vida, então pare de olhar só para seu umbigo e viva de forma mais humana. E quando tiver um problema, fale, converse, busque ajuda. Quando tiver preconceito com cinema nacional, vá além, esqueça o convencional. Fabio Porchat saiu da caixa, ousou e fez o melhor filme nacional até o momento. “Entre Abelhas” é para ver e rever. Pensar e repensar. Refletir e enxergar a verdade. Lindo filme.

Vitor Stefano
Sessões

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...