segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho



Nome Original: Hoje eu Quero Voltar Sozinho
Ano: 2014
Diretor: Daniel Ribeiro.
País: Brasil
Elenco: Ghilherme Lobo, Fabio Audi, Tess Amorim, Lúcia Romano e Eucir de Souza.
Prêmio: FIPRESCI Award e Teddy Award Best Feature Film no Festival de Berlim.
Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (2014) on IMDb




Descoberta. Esta é a palavra capaz de descrever o filme. Todos os dias são dias de conhecer novas coisas, de experimentar novas sensações, de provar novos sabores, de entender o que você achava que já conhecia. Descobrir e redescobrir é uma tarefa diária, uma tarefa eterna. Aos 15 anos todos segundos acontecem novidades. Conhece-se amigos que serão pra vida toda, vive-se como se não houvesse amanhã, ouve-se a mesma música até decorar o sussurrar do cantor, decide-se o que fará quando tiver 30, entende que seus pais são inimigos mortais, mas em segundos sabe que eles serão sempre seu alicerce, vive o sexo com medo, mas com muita curiosidade, beija-se até o portão. Uma época caótica, volátil, inventiva. Descobrir o mundo aos 15 para um menino cego é mais que descoberta, é uma exploração subaquática em mares nunca navegados, onde no escuro do mundo está tudo que se precisa para viver.

Leonardo é o jovem cego. Dentro da família vive com a superproteção da mãe, apoio do pai e acolhimento da avó. Leonardo é cheio de sonhos, mas sempre tem na sua deficiência uma barreira, seja para sair de casa, ficar sozinho em casa, fazer um acampamento ou mesmo para fazer um intercâmbio. Não há chances para a precaução da mãe. Dentro do colégio tem apenas Giovana, sua melhor amiga, sua companheira, seus olhos. Do resto da turma é apenas um estorvo, uma piada fácil. Giovana sempre o apoia em tudo. Uma amizade maravilhosa. A chegada de um menino novo na sala vai mudar tudo. Tudo por dentro. Gabriel torna-se um bom amigo da dupla, mas a presença de um menino novo na sala sempre causa assédio das meninas. Gabriel é encantador, tipo um anjo e, como não podia deixar de ser, Giovana e Leonardo também se encantam pelo jovem de cabelos encaracolados. Moderninho, ousado, inteligente, descolado. Todos os olhos miram Gabriel. Leonardo mira seu coração e como a adolescência é uma roda gigante, as paixões tornam-se insustentáveis num coração juvenil.

“Hoje eu Quero Voltar Sozinho” é delicado, inteligente e ousado. Enquadrá-lo apenas como um filme gay é ignorância. É um filme juvenil, absolutamente crível e um ótimo retrato da juventude atual, assim como é “AsMelhores Coisas do Mundo” da Laís Bodanzky. Filmes com romances intersexuais estão cada vez mais comum, um retrato da sociedade que vem “saindo do armário” com mais confiança e menos preconceito. Nesse ano tivemos “Tatuagem” e “Praia do Futuro”, para lembrar os mais recentes. Daniel Ribeiro, em sua estréia em longas, conseguiu com filmes que andam numa corda bamba um equilíbrio incrível. Por ser um filho do curta-metragem “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, Daniel sabia que tinha um ótimo enredo e elenco nas mãos. Veja o curta:





Apesar de uma ambientação confusa, onde não sabemos em qual época vemos os personagens, a atemporalidade da temática é que faz com que isso não nos incomode. O elenco juvenil – Ghilherme Lobo, Fabio Audi e Tess Amorim - está bem seguro e mostram uma sintonia incrível, certamente trazido do curta. Trabalho excelente de Daniel Ribeiro por sua qualidade na direção, algo incomum para estreantes em longas-metragens. Como disse, são dois temas que podem cair no exagero muito fácil, mas que fazem rir, refletir e nos apaixonar, independente da escolha sexual. Uma escolha muito boa para representar o Brasil no próximo Oscar pelas qualidades descritas acima e pela universalidade das temáticas. De qualquer forma, não seria a minha escolha, que ficaria com o fabuloso “O Lobo Atrás daPorta”.

Vitor Stefano
Sessões

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...