segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Ata-me!

Nome Original: ¡Átame!
Diretor: Pedro Almodóvar
Ano: 1990
Elenco: Victoria Abril, Antonio Banderas, Loles León, Julieta Serrano e Rossy de Palma.
Prêmios: Melhor Filme Espanhol no Festival de Sant Jordi e Melhor Ator (Banderas) no Festival de Cartagena.

Ata-me (1990) on IMDb


A paixão pode ser exprimida de várias formas. Um ramalhete de flores, caixa de bombons, um anel de brilhante, um abraço carinhoso e acalorado, um beijo na chuva, uma viagem inesquecível, um lual na praia, uma serenata com canções de amor ou até um cachorro fofinho. E sequestrar seu amor, provando que juntos a vida a dois será inesquecível? Por quê? Porque não? A paixão e a loucura andam de mãos dadas numa linha tênue onde um pequeno escorregão pode transformar um amor eterno num pesadelo inesquecível. Certo? Não. Um pesadelo também pode sofrer uma mutação em formato de amor. Tudo isso pode acontecer na sua casa, no vizinho, na sua família. Pode, mas só vemos isso dentro de um filme de Almodóvar.

Os caminhos de Marina e Ricky se cruzaram um ano antes. Ele finalmente tem alta do hospital psiquiátrico, do qual já tentou fugir diversas vezes, e se vê solitário no mundo. Ela, uma ex-atriz pornô que está na transição para o cinema convencional, vive o auge das filmagens de um filme “terror B” como protagonista, entre uma crise e outra de abstinência de medicamentos e heroína. Uma noite e ela nem lembrava mais e ele nunca a esqueceu. Ela foi a cura de Ricky que a quer como mulher para toda a vida. Para tê-la, ele invade seu apartamento e a ata. Amarra até que os elos entre os dois já estejam consumados e que as cordas não sejam mais necessárias. As provas de amor de Ricky para Marina Osorio ficam perigosas a partir do momento em que ela subitamente desaparece. Os participantes do filme e sua família ficam preocupados e começam a busca-la. Ricky precisa se virar a fim de não deixa-la ir. Uma cumplicidade é criada entre os dois, mas as amarras sempre estarão lá. Nem que sejam invisíveis.


Claro que a beleza e competência de Victória Abril nos chamam atenção em suas cenas nuas ou mesmo amarrada à cama, mas, pelo sucesso posterior, a figura de Antonio Banderas nos chama atenção. O galã espanhol ainda engatinhava no cinema mundial, mas já era uma estrela na Espanha e em “Ata-me” fica claro que um futuro promissor viria para Banderas. Um roteiro que beira o non-sense tem nas atuações dos personagens o seu grande auge. Almodóvar sempre tem temas fortes e polêmicos em sua filmografia e aqui não é diferente. Apesar do sexo e da nudez o filme foge do cinema pornô como o vampiro da cruz. A verdadeira busca de “Ata-me” é pelo amor e não pelo tesão, nem que seja a força. Uma loucura bela e apaixonante.

Vitor Stefano
Sessões

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...