segunda-feira, 16 de julho de 2012

E aí, Comeu?

Nome Original: E aí, comeu?
Diretor: Felipe Joffily
Ano: 2012
País: Brasil
Elenco: Bruno Mazzeo, Marcos Palmeiras, Emilio Orciollo Netto, Dira Paes, Tainá Müller, Juliana Schalch, Laura Neiva, Seu Jorge, Murilo Benício e José de Abreu.
Sem Premios.
E Aí... Comeu? (2012) on IMDb


Quando vi as primeiras chamadas, ri do nome e temi o fim do mundo. Quando aproximou-se da estreia, vi entrevistas e torci o nariz. Quando finalmente estreou, nem me interessei. Quando me vi sentado na poltrona do cinema, vendo trailers de filmes que pretendo ver, como “Na Estrada” e “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, ao apagar das luzes, virei para minha esposa e disse: “Acho que vai ser uma merda” e ela prontamente concordou e disse uma bomba. Cinema cheio, pessoas falando muito e alto, já gargalhando na espera de rir durante as próximas duas horas. Constato que o imã de tantas pessoas quase que esgotando os bilhetes é Bruno Mazzeo, a razão maior de eu, em condições normais, não estar lá. Mas ingresso dado é ingresso usado. Agora, com certeza, me perguntarão: E aí, sofreu muito? Apesar do clichê, morri de rir, sai do cinema com a impressão que meu fígado estava desopilado e pensando que a comédia brasileira pode ressurgir. Talvez seja muita pretensão ou um tiro de sorte, porém prefiro esperar o melhor a pisar na cabeça do que já está condenado à cadeira elétrica.

A premissa é simples. Três amigos que adoram sentar no mesmo barzinho, se possível no mesmo lugar e tomando sempre a mesma cervejinha. Vemos que o Bar Harmonia é quase um QG, uma taberna onde só se pode falar sobre relacionamentos. Cada um em seu momento, com seu problema, com seus dilemas. Não importa dizer qual o nome dos personagens ou se suas pretendentes está te chifrando, é menor de idade ou é viciada em liberdade, o que realmente importa é que a cada novo encontro, novas ideias são expostas, sempre acompanhados de sua cervejinha e com os melhores pitacos do mundo vindos do garçom Seu Jorge, que já se engraçou com ruiva, japonesa e, obvio muitas loiras, mas as suas prediletas são as mulatas. Sabe tudo. Talvez às mulheres, o filme é muito ogro, mas para os homens sabem como esses papos são corriqueiros e naturais, e por muitas vezes, necessários.


Talvez eu tenha gostado mais do que normalmente gostaria por não esperar nada do filme. Com as últimas empreitadas de Mazzeo com “Cilada.com” e do diretor Felipe Joffily com “Muita Calma Nessa Hora”, “E aí, comeu?” era uma premonição do fim do cinema do gênero comédia para o Brasil, mas com um texto inteligente de Marcelo Rubens Paiva e um elenco afiado e inspirado, o filme surpreende, com piadas de baixo calão, com uma pegada machista, com um papo desencanado e com palavrões saindo das bocas como perdigotos invisíveis de um bêbado falando com um poste, faz rir a valer.  Apesar das previsões obvias e da busca do nada por coisa alguma, o passatempo é deveras divertido. Destaque pelas intervenções do personagem de Marcos Palmeiras sobre os momentos íntimos a dois. Não esperem profundidade de “Afinal, o que querem as mulheres?”, não busquem respostas às questões nunca respondidas, a idéia é apenas ver, rir e depois juntar os amigos na mesa de um bar para filosofar sobre a importância da mulher na vida de nós, homens. Pra falar a verdade, filosofar é falar de putaria.

Vitor Stefano
Sessões

3 comentários:

  1. Tá de brincadeira né. Esses foram os minutos mais perdidos da minha vida, esse filme é um lixo, um monte de estrume sendo bombardeado na tela. Para começo de conversa, o filme tem Bruno Mazzeo, um cara que acha que é um comerciante por ser filho de um. Ah, faça-me o favor.

    ResponderExcluir
  2. Na boa véio.......vc deve ser parente ou muito amigo do Mazzeo......ou ganhou um troco ou na pior das hipóteses......ter um puta mal gosto!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Putz! Delirius maionezius! Esse é um filméco!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...