terça-feira, 3 de maio de 2016

Permanência


Nome Original: Permanência
Ano: 2014
Diretor: Leonardo Lacca
País: Brasil
Elenco: Irandhir Santos, Rita Carelli, Laila Pas, Genésio de Barros e Sílvio Restiffe.
Prêmios: Melhor filme, melhor direção de arte, melhor ator coadjuvante (Genésio de Barros) e melhor atriz (Rita Carelli) no Cine PE.
Permanência (2014) on IMDb


Dizem que nada acontece. Que há vazios existenciais nos silêncios inquietantes. Que os olhares que se cruzam timidamente já se comeram outrora. Que a delicadeza do toque já foi mais vigoroso e potente. A vontade do querer não acabou. O incômodo gerado pela permanente tensão de querer ser o que não se pode. De ter vontade, mas reprimir. De viver sem gozar a vida. Tensão do tesão reprimido. Permanência é estar, mas não necessariamente querer estar. Em “Permanência” nada acontece, mas não conseguimos deixar de ficar tenso com o próximo ato.

Ivo chega em São Paulo, vindo de Recife para apresentar sua exposição. Um abismo de temperatura faz o fotografo estranhar a chegada. Ao encontrar Rita, dona do apartamento onde ficará na temporada, algo trava. O café acompanha a voz baixa e o olhar desviante nos prova que há resquício de algo que restou do passado. Que veio de Recife. Rita é casada e essa tensão permeará toda a estadia. Entre a organização da exposição, festas e jantares na casa, evidencia-se o passado e ressuscita fantasmas. Ivo vive sua vida, se engraça com a mocinha da exposição, numa clara fuga da Rita. Tórridas e elegantes cenas de sexo permanecem em sua mente. Entre idas e vindas, não importa o que é dito, estamos apenas ouvindo apenas o não dito.


O cinema pernambucano é a meca do cinema nacional. Há alguns anos o frescor e potência dos filmes dos diretores de lá criaram uma nova modalidade. Mesmo se passando em São Paulo, a ternura do olhar, a secura da vida e Irandhir Santos nos faz pensar claramente no Recife. Aliás, Irandhir é nosso melhor ator da atualidade e está dominando a tela. Com atores desconhecidos como coadjuvantes, ele brilha, mas muito por conta do excelente trabalho de Rita Carelli. O silêncio é barulhento demais para não delatar o que está acontecendo. “Permanência” é sobre tudo, nada, rotina e pessoas. É um lindo filme e um inicio promissor de Leonardo Lacca.

Vitor Stefano
Sessões

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...