segunda-feira, 13 de julho de 2009

Pirataria

O DVD é colocado no aparelho e logo vem vídeos como esse abaixo:




A pirataria é um problema do Brasil e do mundo. Com o DVD não é diferente. Em cada esquina tem um cara com uma barraquinha com centenas de títulos. R$ 5 é o preço mais caro que se paga por uma ‘obra’, além de promoções – Leve 5 e pague 4. Sou contra a pirataria, ‘roubo’ de direitos autorais e uso indevido de imagem. Sei que opiniões divergentes são constantes nesse assunto e as respeito muito.

Não sei se comprar um produto pirata é patrocinar o crime organizado, compra de armas para traficantes ou financiar o tráfico de drogas. Não sei mesmo. Quem sabe os ambulantes só estejam buscando um modo de vida ‘legal’ ao invés do crime. Infelizmente legal não é, pois não há arrecadação dos impostos como todos os cidadãos (como deveria ser)? Ou há em propinas pagas a policiais corruptos? Daí você me dirá que é culpa do Governo que não dá condições de trabalho para todos e que já nos ‘rouba’ tantos impostos. Se continuarmos o papo virará uma bola de neve e uma discussão sem fim. A lei diz que é proibido então é proibido. Se ela está certa ou errada, ou se é culpa de A, B ou C, aí é outro problema. Ou quem sabe a pirataria promove mesmo o crime? É papo pra dias e sem definição.

Mas e baixar o filme na Internet? Como fica? Essa prática é muito comum e conheço diversas pessoas que fazem isso. Pela lei também é crime. E uma simples cópia caseira. Também. A lei é muito frouxa e não consegue abranger os problemas que a pirataria trás à Indústria Cinematográfica. É hora de rever e punir quem for de direito.

Você me dirá: “O preço é a maior barreira para que se compre o original”. Concordo que o preço nem sempre é acessível ao publico, mas garimpando é possível encontrar bons títulos – inclusive lançamentos - a preços totalmente acessíveis. Há poucos dias comprei o recente Vicky Cristina Barcelona de Woody Allen por R$ 9,90 (vale a pena ver o filme). Há algumas lojas e locadoras, que vendem DVDs que foram locados por um tempo, mas agora estão sobrando. É uma fuga à ilegalidade. É como eu compro a maioria de meus DVDs. Aconselho, pois ter uma coleção de DVDs (tenho mais de 150 filmes e todos originais) é uma terapia. Terapia de consciência limpa sem tarja preta. Gostaria dar essa dica e colocar em pauta esse tema que é polêmico, que certamente todos vocês tem uma opinião. Quero ouvi-los.

Vitor Stefano
Sessões

10 comentários:

  1. Sabe Vitor,

    Direitos autorais só interessam às majors americanas. Assim como no mercado fonográfico, os artistas não são os grandes lucradores.

    O público se satisfaz com cópias bem feitas pagando por preços acessíveis, afinal, moramos em um país de terceiro mundo onde o salário mínimo, você já viu o tamanho.

    Só não digo que o preço é justo, pois as capas são mal reproduzidas. Para haver condições de se julgar efetivamente, deveria haver equidade na relação, que neste caso não existe.

    Afinal, a cada filmaço pirateado, eles fazem com que o mercado brasileiro engula outras dezenas de porcarias, que são vistas em telas de cinemas brasileiros, que mal passam os filmes nacionais. Aqueles que não podem ir ao cinema, acabam comprando no mercado informal.

    Não estou fazendo apologia ao crime da pirataria e também não posso provar, mas já ouvi dizer que alguns donos de grandes distribuidoras e lojas de entretenimento, até mesmo locadoras estariam por trás da pirataria, só para lucrarem nos dois mercados.

    Se isto fosse realmente uma verdade, do que adiantaria comprar cópias originais? onde começaria o certo e terminaria o errado?

    ResponderExcluir
  2. Oi Vitor!!!

    Creio que além de todo esse papo de pirataria x crime x legalização... existe o prazer de quem ama realmente o cinema e gosta de colecionar títulos originais!
    Eu não baixo filmes pela internet, não compro nenhum cd pirata, me recuso a assistir, independente de pra qual parte (camelô ou grandes indústrias cinematográficas) esteja indo o lucro!!!
    Não há prazer maior do que olhar a estante e ver 'N' títulos, todos originais, com alta resolução, enfileirados!!!
    Nem mesmo quem compra filmes piratas se leva a sério, pode reparar; a maioria das pessoas tira sarro de sua própria atitude quando empunha um 'cdzão' pirata... vergonha alheia!!!
    Como vc mesmo disse, existem sim títulos com preços promocionais, basta buscar, garimpar sem preguiça... além de comprar algo com qualidade superior, não corre o risco de diminuir a vida útil de seu aparelho dvd!!!

    bjs e o blog tá cada dia melhor!
    Parabéns!
    Alexandra

    ResponderExcluir
  3. Faaaala!

    Cara, tô te favoritando lá no Movie For Dummies!

    Abs!

    ResponderExcluir
  4. entón... eu sempre dou uma passadinha nas americanas, onde costumo achar preciosidades. mas confesso que, com filmes mais recentes, eu recorro à pirataria por não ter grana pro cinema, onde o combo ingresso+pipoca+refri pode chegar a 50 reais, e depois de beber 1 litro de coca, não dá pra pausar o filme pra ir ao banheiro.mas isso não impede que eu compre o filme depois de lançado em dvd, caso eu goste dele. tenho uma modesta coleção aqui em casa. e alguns emprestados que não voltaram mais, viu chapeleta? CADE MEU CHARLIE AND THE CHOCOLATE FACTORY? AHAHAHHA

    ResponderExcluir
  5. Não me agrada a idéia de ter uma estante forrada de DVDs originais. Durante um tempo tive o hábito de comprar os títulos originais, mas hoje abandonei esta idéia. Não é que eu não compre, mas não saio com a intenção de comprar DVDs. Há algumas promoções que são imperdíveis e você deve sim comprar. Não para ter o "prazer maior de ver uma estante forrada de DVDs originais" e sim para ter o prazer de rever uma ou outra cena quando você quiser, não acredito que o prazer de ver cinema e sentir cinema se compare ao prazer de se olhar uma estante abarrotada de DVDs.

    E quanto a pirataria não importa se é ilegal, importa se for imoral e imoralidade está ligada a conceitos muito pessoais. Veja o que te cabe, qual a sua realidade e qual a melhor forma de você acessar o que gosta.

    Em resumo, tente saber o que é moral para você, acesse o Sessões e viva!

    Leandro Antonio

    Sessões

    ResponderExcluir
  6. Nossa muito bom o texto!!!
    Não vou mentir, e nem enrolar.....
    Não sou viciada em filmes, passo meses se deixar sem vêr nenhum, portanto nunca baixei, e nunca comprei um dvd pirata. Só penso que atrás do preço do dvd, existiu um trabalho feito por diretores artistas etc, e se algumas vezes pago mais caro por uma roupa, porque não pagar por um dvd??? Só porque não visto ele???
    Sei que tudo tem um preço, barato ou caro, depende de quanto quer gastar!

    ResponderExcluir
  7. Bom, eu adoooro filmes, mas nem por isso saio igual louca nas barraquinhas piratas da vida e encher a estante de dvds de filmes piratas, pois acho de péssima qualidade, ja assisti alguns que peguei emprestado, acaba com toda a graça do filme, do pior q seja mesmo... Confesso que não possuo muiiitos filmes (pois prefiro ter pouco, mas de boa qualidade, do que vários de baixa qualidade), mas sempre compro os que valem à pena originais e aproveito também, claro as promoções, com certeza vale mais à pena "gastar a sola do sapato" e sair à procura de dvd's originais pra tê-los pra toda a vida do que se decepcionar toda vez que assitir um filme de péssima qualidade.
    Agora discutir pirataria é igual discutir política... então prefiro não prolongar o assunto...rs, já que é pirataria pra td quanto é lado (música, cds, roupas, ingressos, etc etc etc...rss!)

    Adorei o texto, parabéns.

    ResponderExcluir
  8. All rights reversed

    Em pleno século 21 não é mais possível defender a propriedade intelectual porque ela mesma não defende nenhuma criação intelectual. O copyright defende interesses financeiros dos intermediários do produto e a sua distribuição. No plano da música tem se as gravadoras, no campo do cinema as indústrias cinematográficas, no campo editorial as editoras.

    De modo geral o copyright começou na Inglaterra do século XVII e foi usado como concessão monárquica para o controle de informações sobre o regime de sua majestade. De lá para cá seu uso se cristalizou e criou uma aparente ordem no que diz respeito ao quê quem recebe por suas produções intelectuais.
    Ocorre que há umas quatro décadas um movimento alcunhado de copyleft ganhou força e passou a contestar aquilo que geralmente era considerado como dado.Um programador de Harvard chamado Richard Stallman propôs um acordo que visasse impedir que uma empresa se apossasse de sua idéia e a usasse com fins lucrativos.
    O que começou no campo da informática espraiou-se e invadiu a mídia,as editoras,as gravadoras e os cinemas.

    O movimento software livre é hoje apenas umas das partes de que se compõe a idéia mais geral: o movimento pela cultura livre.
    Quem poderia imaginar que a sociedade se unisse pra pedir cultura em tempos globalizados? É claro que os direitos autorais em seu sentido mais pleno é a retribuição do trabalho de um artista mas é a única forma.

    Todo tipo de produção humana foi antes de tudo um produto de suas idéias e eu não consigo aceitar a hipótese de que uma idéia possa ser precificada e muito menos a de que se alguém compartilhar suas idéias com outro aquele fique mais pobre de idéias. Pensá-lo seria chegar ao absurdo de supor que a chama de uma fogueira diminui à medida que se acerca dela. U m livro ou uma obra cinematográfica não é a mesma coisa que uma casa na qual a posse do bem possa impedir alguém de lhe penetrar. O músico, o escritor e o diretor são movidos ou deveriam ser,por outros estímulos não a mera busca incessante pelo a aumento de sua riqueza.Neste particular tanto melhor que uma obra seja divulgada pois aumenta o divulgação de seu produtor e conseguintemente o seu reconhecimento perante a sociedade.

    Da mesma forma que um blog como esse não está preocupado em dinheiro ou em receber qualquer espécie pelo que contém. Nossa motivação basilar está primeiro na comunhão entre 6 amigos com um gosto em comum:O cinema ,e segundo pela possibilidade de se fazer ouvir através do Sessões.Corrêssemos atrás do vil metal somente e estaríamos fora do ar.

    No que diz respeito à pirataria ela é,em si mesma,a despeito de suas implicações sociais e econômicas, uma dialética natural do movimento das coisas.A lei da inércia é a lei dos homens.Ninguém reclama se tudo vai bem.Se há pirataria é porque falta espaço pra todo mundo na economia.O diálogo tem que ser muito mais positivo com as empresas que se utilizando do argumento legal dos direitos autorais e do pureé de batatas morais arrecadam e arrecadam e arrecadam.

    Então, meus caros amigos, a pirataria pode ser tudo isso que se fala dela, mas ela é também uma ação que diz pelo sub-reptício que os valores herdados do passado carecem de reavaliação profunda.

    Fernando Moreira dos Santos
    Sessões

    ResponderExcluir
  9. Meus amigos, vou lhes contar um fato interessante a respeito de pirataria: tinha uma pequena empresa prestadora de serviços (sou técnico formado pelo Senai e já aposentado). Executava atividades por contrato com grandes empresas - tercerizava os serviços, vamos dizer assim. Já chegamos a ter em nossa pequena empresa cerca de 45 funcionários, que tinham carteira assinada, recebiam em dia, tudo direitinho. Recebíamos pelo trabalho executado para grandes empresas, fazendo produtos ou partes de produtos, a custo menor. Ai vem o problema: os nossos clientes passaram a visitar a China e descobriram que poderiam comprar os produtos que fabricávamos para eles, pela metade do preço, ou até menos. Sabe o que aconteceu? Pararam de trabalhar conosco, e passaram a comprar diretamente da China. E o que aconteceu? Fechamos a nossa empresa e os nossos funcionários foram para a rua.
    É isso que acontece com a pirataria de filmes. E posso lhes dizer "de cadeira" porque tenho também locadora, com cnpj e tudo. Compro filmes só originais, mas sofro com os camelôs vendendo as obras cinematográficas a l,50 real. Isso é o nosso Brasiiiiiilllll.

    ResponderExcluir
  10. Carlos, muito obrigado por seu relato e comentário sobre esse assunto tão polêmico.
    É uma pena termos situações com o a sua acontecendo num país que não protege o pequeno produtor e quem trabalha dentro da lei.
    Temos um problema cultural de falta de cultura à população, porém o crime não pode ser recompensado. Pelo menos é a minha opinião.
    Muito boa sorte com a sua locadora e continue nos visitando e dando sua opinião!
    Obrigado!

    Vitor Stefano
    Sessões

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...